Google+ Followers

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Ouça: Marcelo Vilela - "Pra acender"

MORADORES DE S.PEDRO CAMARAGIBE, PEDE

Moro no Lot. São Pedro em Aldeia de Baixo, e a limpeza urbana ainda não passou por lá, além do lixo e muito mato acumulado, existe uma vacaria dentro do terreno da PREFEITURA, não aguentamos mais o mau cheiro, principalmente a noite. O local não é apropriado para ciação de vacas nem o terreno é do criador. O Conselho de Moradores existente no bairro não toma nenhuma providência, nem tão puco a prefeitura. Gostaria que  divulgasse essa situação em seu blog, e se possível o caso chegasse ao orgão responsável para as devidas providências. Grato pela atenção. Hildebrando Aberlado de M. Aguiar. Camaragibe, 31/01/2013



Potiguara
Enviado pelo blog:Camaragibe em Foco

NINHO NA LUTA COM OS ENFERMEIROS E ACSs



Confira

Técnicos do CNJ vêm à PB para recalcular precatórios no TJPB


afdc46bd 6476 48b5 91ad 01a6b0153eee media .jpg Técnicos do CNJ vêm à PB para recalcular precatórios no TJPBChegam hoje à Paraíba dois técnicos do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para recalcular os valores dos precatórios devidos pelo Governo aos credores. Segundo o assessor da presidência do Tribunal de Justiça para assuntos de precatórios, o juiz Rodrigo Marques, o Estado tem uma dívida de R$ 34 milhões, referente aos anos de 2011 e 2012. Porém, ele ressaltou que o governo afirma que o valor é menor do que foi apresentado.
Rodrigo Marques destacou que o recalculo foi solicitado pelo próprio Governo. “O objetivo dessa visita é o de fiscalizar o setor de precatório do Tribunal de Justiça. Uma vez que o Estado da Paraíba alega que os cálculos realizados pelo TJ são superiores ao valor real devido. Então, eles (os técnicos do CNJ) irão verificar se os valor a pelo Tribunal correspondem à dívida do Estado”, explicou o magistrado.
Ele disse que os cálculos dos precatórios são realizados pela Gerência de Finanças e Contabilidade. No entanto, ponderou que os parâmetros utilizados para a realização dos mesmos são determinados por lei. “Para realizar esse cálculo, são observados todos os princípios legais atinentes a espécie. Por isso, não temos dúvida de que os cálculos estão corretos”, frisou Rodrigo Marques.
Para Rodrigo Marques a vinda dos representantes do Conselho Nacional de Justiça será muito positiva para TJPB. Isso porque, segundo o magistrado, no momento em que o órgão determinar o valor real devido pelo Estado, o governador terá que pagar a dívida de forma integral. “Porque esse dinheiro não pertence ao Governo do Estado. Esse dinheiro pertence ao cidadão, pertence aos credores”, declarou.
A análise do cálculo dos precatórios devido pelo Estado será realizada pelos Juízes Erivaldo Ribeiro dos Santos que é auxiliar da Corregedoria do CNJ e por José Luiz Leite Lindote – membro do Comitê Nacional do Fórum Nacional de Precatórios.
Notificações
O juiz Rodrigo Marques lembrou que o Tribunal de Justiça já notificou 107 prefeituras e o Governo do Estado por terem descumprido o repasse do pagamento de precatórios. Segundo ele, todos estão respondendo a processos administrativos. “Esse gestores respondem também por improbidade administrativa e perante a Lei de Responsabilidade Fiscal”, afirmou o magistrado.
Fonte: Do Correio da PB
Enviado pelo blog:Sindavas-PB

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

O que aprender com a tragéfia de Santa Maria?

Durante o fim de semana, o Brasil inteiro parou perplexo diante da televisão e das redes sociais tentando assimilar as informações desenfreadas que noticiavam a cada minuto detalhes de uma tragédia ocorrida na Boate Kiss, na cidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul.

Até o presente momento, 235 pessoas perderam a vida por uma sucessão de descasos e irresponsabilidade.
 
Analizando a realizade dos espaços que promovem evento nas nossas cidades, que muitas vezes super lotam com atração A ou B, me veio a mente algo que eu confesso nunca haver pensado: eu nunca olhei para estes espaços em busca de uma rota de fuga em caso de necessidade.

E ai, uma sucessão de perguntas me veio a mente: Quantas vezes você entrou em um clube ou casa de eventos para um show e procurou a localização das saídas de emergência? Quantas vezes além do banheiro você olhou em volta e viu se haviam extintores de incêndio?
A esta altura você deve estar respondendo: NUNCA.

Sempre seguimos os conselhos dos nossos pais de ter cuidado com quem andamos , mas as vezes esquecemos o por onde.

A tragédia de Santa de Maria nos faz pensar em meio a tanta dor que é imprescindível que busquemos aprender com os erros dos outros antes que a tragédia bata a nossa porta.
É necessário que os poderes públicos municipais cobrem de forma rígida que os estabecimentos tenham alvará, extintores e saída de emergência , antes que os nossos filhos, sobrinhos, amigos e até mesmo pais sejam as vítimas de uma nova tragédia.

Em Pernambuco várias cidades como Arcoverde e Garanhuns não possuem Corpo de Bombeiro e no caso de Arcoverde, incêndios ocorridos no ano de 2012 e um novo incêndio já em 2013 mostraram a fragilidade da nossa segurança em caso de incêndio onde quem apaga o fogo são os vizinhos e os policiais não bombeiros treinados pra isso e com carros equipados com água.

Em Santa Maria os bombeiros chegaram ao local do incêndio por volta de 15 minutos depois do início do fogo e mesmo assim, mais de 200 pessoas morreram.

Imagina em uma cidade que não possui uma unidade do Corpo de Bombeiros e o mais próximo fica a mais de uma hora de distância.

Que possamos aprender com os erros dos outros , antes que a próxima lista de mortos esteja aqui perto de nós.
Amannda Oliveira  
 Enviado pelo Blog:Falando Francamente





 

PMPE: Comandante Geral manda diversos Oficiais Superiores para Rerserva Remunerada por atingir a idade limite de permanênicia na ativa.

POLÍCIA MILITAR DE PERNAMBUCO

PORTARIAS DO COMANDO GERAL DA PMPE

O Comandante Geral no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo Art. 101, Inc. III, do Regulamento Geral da PMPE, RESOLVE:

Nº 060, de 28.01.13 - I - Desligar do serviço ativo da Corporação, a/c de 26 de janeiro de 2013, por haverem atingido o tempo de permanência no posto, cumulativamente com 30 (trinta) anos de efetivo serviço, conforme o disposto no art. 85, inciso I c/c artigo 90, Inciso II, da Lei nº 6.783/74, com modifi cação introduzida pela Lei Complementar Estadual nº 110/2008, os militares estaduais abaixo discriminados:

POSTO MAT. NOME


Coronel QOPM 1903-8 Maria de Fátima Sabino Nascimento


Major QOPM 20881-7 Vânia Cristina Santos Soares

II - Estabelecer o prazo de 08 (oito) dias, a contar da data desta publicação, para que o respectivo Comando faça a entrega da documentação necessária ao processo de inatividade, conforme Resolução nº 06/2009 (TCE) c/c o previsto nas Portarias Normativas do Comando Geral nº 110/2011 (Sunor nº 15/11) e nº 118/12 (Sunor nº 07/12).

Nº 061, de 28.01.13 - I - Desligar do serviço ativo da Corporação, a contar de 26 de janeiro de 2013, a Tenente-Coronel QOPM Mat. 1905-4/ELEONORA ARAUJO COSTA DE MENEZES, por haver completado 30 (trinta) anos de efetivo serviço, cumulativamente com o tempo de permanência no posto, conforme o disposto no art. 85, inciso I c/c artigo 90, Inciso II, da Lei nº 6.783/74, com modificação introduzida

pela Lei Complementar Estadual nº 110/2008. II - Estabelecer o prazo de 08 (oito) dias, a contar da data desta publicação, para que o respectivo Comando faça a entrega da documentação necessária ao processo de inatividade, conforme Resolução nº 06/2009 (TCE) c/c

o previsto nas Portarias Normativas do Comando Geral nº 110/2011 (Sunor nº 15/11) e nº 118/12 (Sunor nº 07/12).


Nº 062, de 28.01.13 - I - Desligar do serviço ativo da Corporação, a/c de 26 de janeiro de 2013, por haverem atingido o tempo de permanência no posto, cumulativamente com 30 (trinta) anos de efetivo serviço, conforme o disposto no art. 85, inciso I c/c artigo 90,

Inciso II, da Lei nº 6.783/74, com modifi cação introduzida pela Lei Complementar Estadual nº 134/2008, os militares estaduais abaixo discriminados:


POSTO MAT. NOME


Major QOA 20883-3 Maria Cilene Teixeira de Albuquerque

Major QOA 20884-3 Tereza Cristina Soares Gouveia

Major QOA 20877-9 Evanderly Lira Leite dos Santos


II – Estabelecer o prazo de 08 (oito) dias, a contar da data desta publicação, para que o respectivo Comando faça a entrega da documentação necessária ao processo de inatividade, conforme Resolução nº 06/2009 (TCE) c/c o previsto nas Portarias Normativas do Comando Geral nº 110/2011 (Sunor nº 15/11) e nº 118/12 (Sunor nº 07/12).


Nº 063, de 28.01.13 - I – Desligar do serviço ativo da Corporação, a/c de 20 de janeiro de 2013, por haver atingido o tempo de permanência no posto, cumulativamente com 30 (trinta) anos de efetivo serviço, conforme o disposto no art. 85, inciso I c/c artigo 90, Inciso II, da Lei nº 6.783/74, com modificação introduzida pela Lei Complementar Estadual nº 134/2008, a militar estadual abaixo discriminado:


POSTO MAT. NOME

Major QOA 20886-8 Tereza Neuma Barros Oliveira G. da Silva


II – Estabelecer o prazo de 08 (oito) dias, a contar da data desta publicação, para que o respectivo Comando faça a entrega da documentação necessária ao processo de inatividade, conforme Resolução nº 06/2009 (TCE) c/c o previsto nas Portarias Normativas do Comando Geral nº 110/2011 (Sunor nº 15/11) e nº 118/12 (Sunor nº 07/12).


LUIS AURELIANO DE BARROS CORREIA

Coronel PM - Comandante Geral



POR DELEGAÇÃO: CLÊNIO DO NASCIMENTO MAGALHÃES

Ten Cel PM – Resp. pela Diretoria de Gestão de Pessoas
Fonte: Diário Oficial 19 de 29/01/2013
Enviado pelo Blog Do Aurélio

Prefeitura retira ambulantes das calçadas no entorno do Mercado de Água Fria


Em segunda ação em oito dias, a Prefeitura do Recife abriu mais espaço para pedestres e usuários de transporte público ao iniciar, na manhã desta terça-feira (28), o reordenamento do entorno do Mercado de Água Fria.

A operação teve início às 6h, retirando ambulantes da Avenida Beberibe e relocando provisoriamente para vias tranversais. No último dia 21, ação parecida reordenou o entorno do Mercado de Beberibe, que fica na mesma avenida.

Com as duas ações, a expectativa é que o tempo das viagens nos ônibus de 22 linhas que passam pela Avenida Beberibe diminua em até 20 minutos.
Dos 338 ambulantes cadastrados que ocupavam a frente do mercado, faixas de rolamento da avenida e a calçada das ruas no entorno, 210 foram colocados em bancas padronizadas em parte das Ruas Japaranduba e Canastra e disciplinados em parte da Eudes Costa, João Uzêda Luna e Travessa do Dowsley, liberando completamente a Avenida Beberibe.

Ficaram de fora quem comercializava mídias piratas e alimentos condicionados de forma irregular. Todos foram comunicados da ação na semana passada.

Placas estão sendo confeccionadas informando a proibição da instalação de comércio informal na Avenida Beberibe e os locais onde os ambulantes devem ficar provisoriamente até que a prefeitura encontre um local para colocá-los definitivamente. Fiscais permanecem no entorno do mercado para impedir a instalação irregular dos ambulantes.

Comandada pela Secretaria de Mobilidade e Controle Urbano, a operação contou com a participação de 150 pessoas da Secretaria-Executiva da pasta, Guarda Municipal, Companhia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU), Vigilância Sanitária do Recife, Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb), Companhia de Serviços Urbanos (Csurb) e ainda policiais militares.

ORDEM - Após a retirada dos comerciantes informais, garis da prefeitura fizeram uma faxina geral no entorno do mercado, com varrição e limpeza com água e sabão. Os locais em que é proibido estacionar receberam pintura de amarelo no meio-fio. Agentes da CTTU disciplinaram o trânsito durante a ação.

Postado por Vinícius Sobreira
Enviado pelo Blog do Aurélio

Governo do Estado cria assentamento da Reforma Agrária em Barreiros


                                       Foto: Casa Grande do Engenho Bombarda
O Estado de Pernambuco está cada vez mais intensificando as ações de regularização fundiária e potencializando a agricultura familiar. O Governo do Estado, por meio do Instituto de Terras e Reforma Agrária de Pernambuco – Iterpe (instituição vinculada à Secretaria de Agricultura e Reforma Agrária do Estado – Sara), cria o Assentamento Ximenes, no município de Barreiros, na Zona da Mata Sul de Pernambuco, para benefício de 126 famílias de trabalhadores rurais.

A solenidade de inauguração do novo assentamento estadual acontece nesta quarta-feira (30) às 16h , no próprio assentamento. O Instituto de Terras é a entidade responsável pela criação de novas unidades produtivas da agricultura familiar em Pernambuco e por gerir os assentamentos públicos estaduais. Esse ato se reveste de grande importância por se tratar de um assentamento estadual legitimando o processo de Reforma Agrária realizada de forma pacífica, com a participação de todos os atores envolvidos com essa política.

O Governo do Estado de Pernambuco adquiriu os engenhos Bombarda e Roncador – com uma área total de 1.100 hectares – no município de Barreiros, para a implementação do Ximenes. O assentamento é resultado de uma parceria do Iterpe com o Complexo Industrial Portuário de Suape, e foi criado para assentar os trabalhadores rurais dos dois engenhos, e também com a finalidade de contemplar os posseiros oriundos do assentamento Jurissaca, localizado em Suape, que devem ser reassentados, haja vista a expansão industrial do Complexo.

“O assentamento é uma unidade produtiva padrão que está alicerçada em um projeto social, econômico e ambiental, onde toda vocação da terra será explorada de uma forma abrangente para potencializar a produção, a comercialização, a renda e a qualidade de vida das pessoas”, disse o diretor-presidente do Iterpe, Getúlio Gondim.

O nome do novo assentamento estadual foi uma escolhida do Governo e dos próprios agricultores para homenagear a Valdir Ximenes de Farias, que foi presidente da extinta Companhia de Revenda e Colonização - CRC, onde reconheceu o setor de revenda como uma forma estratégica para a melhoria da qualidade de vida dos trabalhadores do campo, ampliando assim o acesso ao crédito rural.

O assentamento Ximenes nasce em terras cheias de história e cultura. O Engenho Bombarda faz parte da Área Especial de Patrimônio Histórico (AEPH), que corresponde às áreas de valor histórico, arquitetônico ou cultural, passíveis de tombamento e de exploração pela atividade turística, podendo contribuir para o crescimento socioeconômico do município. A Casa Grande e a senzala do engenho constam no Inventário do Patrimônio Cultural da Mata Sul, da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco - Fundarpe, como Patrimônio Cultural Material.

O passado histórico do engenho desperta o potencial turístico e produtivo da região, que será explorado de maneira sustentável, levando cultura e conhecimento a moradores e visitantes, além de proporcionar mais trabalho e renda aos jovens filhos de agricultores. Esse é um projeto que está sendo desenvolvido pelo Iterpe, alicerçado em matriz tecnológica e fortalecida pelo emparceiramento com a Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE.

“O lugar tem riqueza cultural e conta uma parte da história do Estado. É possível fazer do assentamento Ximenes um local de visitação e de viagem ao passado. Para isso vamos capacitar os jovens e torná-los agentes turísticos. Isso transforma a vida das pessoas”, declara o diretor do Iterpe.
 
Colaboração:  Thais Fonseca
Blog:Falando Francamente

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Delegado é designado para apurar morte de boliviano em Natal




Delegacia Geral de Polícia do RN determinou que André Gurgel apure caso.
Estrangeiro foi encontrado morto em píscina no domingo (27).

Do G1 RN
A morte do boliviano Erick Romald Yujza, de 23 anos, será investigada pelo delegado de Apoio ao Turista (Deatur), André Gurgel. A informação foi confirmada pelo delegado geral de Polícia Civil do Rio Grande do Norte, Fábio Rogério, nesta terça-feira (27). Natural de La Paz, capital da Bolívia, o estrangeiro foi encontrado morto na piscina da casa onde estava hospedado em Natal neste domingo (27).
A investigação do delegado André Gurgel vai indicar se o boliviano foi vítima de morte acidental, afogamento, ou de homicídio. Segundo a polícia, não foram encontradas lesões visíveis no corpo do jovem. No entanto, a Polícia Civil solicitou ao Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) exames toxicológicos e de dosagem alcoólica para esclarecer a causa da morte do estrangeiro. O G1 tentou entrar em contato com Gurgel, mas não conseguiu.
Em depoimento, o dono do imóvel, que também é boliviano, disse que, além dele e de Erick, outros dois bolivianos residem na casa. A situação dos estrangeiros na capital potiguar não foi informada.
Segundo o relatório da Polícia Militar, o dono da casa contou que foi à praia da Pipa neste final de semana e Erick teria se recusado a ir junto. Ao retornar do litoral, ele disse que encontrou o jovem morto na piscina e chamou a polícia.

Fonte:G1
29/01/2013 20h36 - Atualizado em 29/01/2013 20h36

Governadora do RN e secretários estaduais são intimados pelo TJRN





Desembargador acusa gestores de descumprirem ordem judicial.
Despacho é para que as autoridades se manifestem sobre "desobediência".

Do G1 RN
Rosalba Ciarlini se emocionou ao responder críticas do presidente do Sindicato dos Médicos do RN, Geraldo Ferreira (Foto: Ricardo Araújo/G1)Rosalba Ciarlini é intimada pelo TJRN
(Foto: Ricardo Araújo/G1)
O desembargador Claudio Santos, do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN), determinou a intimação da governadora do Estado, Rosalba Ciarlini, do secretário estadual da Administração e dos Recursos Humanos, Antônio Alber Nóbrega, e do presidente do Instituto de Previdência dos Servidores do RN (Ipern), José Marlúcio Diógenes Paiva, devido ao descumprimento de decisão judicial.
Segundo o desembargador, os três são responsáveis pela falta de aumento salarial de servidores ativos e inativos do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do RN (Idema). O secretário de Planejamento, Alber da Nóbrega, também foi alvo de mandado de prisão expedido pelo desembargador Virgílio Macedo nesta segunda (28).
Alber da Nóbrega, secretário de Administração do Rio Grande do Norte (Foto: Ricardo Araújo/G1)Alber da Nóbrega, secretário de Administração
do Rio Grande do Norte (Foto: Ricardo Araújo/G1)
Na decisão, o desembargador alerta para as consequências cíveis e penais que podem recair sobre as autoridades, em virtude do descumprimento de decisão do Pleno do TJRN quanto à questão, inclusive com o envio dos autos para o Ministério Público, o que pode gerar abertura de processo referente à crime de desobediência. A intimação é uma oportunidade para que as autoridades se manifestem sobre a desobediência à respeito da decisão judicial.
No despacho, o desembargador determina que sejam intimados, pessoalmente, a governadora  o os outros dois membros da administração direta do executivo estadual. Em acórdão, todos os magistrados do pleno do TJRN decidiram que a chefe do executivo estadual teve posição ativa no descumprimento da decisão judicial.  “O Pleno do TJRN, à unanimidade, rejeitou as preliminares de indeferimento da petição inicial e de ilegitimidade passiva da chefe do Executivo e do presidente do Ipern”, divulgou o Tribunal por meio da Assessoria de Comunicação.
Por maioria de votos, os desembargadores determinaram a implantação imediata do reajuste dos vencimentos e proventos no contracheque dos servidores, nos termos da Lei Complementar, sob pena de multa diária de R$ 500, para o caso de descumprimento.

CNJ decide reabrir investigações contra desembargadores do TJ-RN




Magistrados são suspeitos de ter desviado R$ 11 milhões de precatórios.
Conselheiros entenderam que é preciso refazer perícias do caso.

Fabiano Costa Do G1, em Brasília
Por maioria, os integrantes do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) decidiram, nesta terça-feira (29), reabrir as investigações que apuram a suposta participação de dois desembargadores em uma fraude milionária no sistema de pagamento de precatórios (dívidas do estado com cidadãos determinadas pela Justiça) do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJ-RN).
Os conselheiros entenderam que é preciso refazer as perícias do caso para evitar futuros questionamentos no Supremo Tribunal Federal (STF).
Os desembargadores Rafael Godeiro Sobrinho e Osvaldo Soares Cruz, suspeitos de terem desviado R$ 11 milhões do setor de precatórios no período em que presidiram a corte potiguar, alegam que houve “cerceamento de defesa” durante o processo.
O relator do caso no CNJ, conselheiro Jorge Hélio, apontou a responsabilidade dos desembargadores potiguares no esquema criminoso. Em seu relatório, Jorge Hélio recomendou a aposentadoria compulsória dos dois magistrados.
No entanto, 11 dos 14 integrantes do CNJ optaram pela retomada da instrução do processo administrativo disciplinar. O órgão estipulou prazo de 140 dias para a conclusão de novo relatório.
Com a decisão, Jorge Hélio terá de refazer as perícias e abrir novos prazos para manifestação da defesa. Se houver condenação, a punição máxima para os desembargadores é a aposentadoria compulsória.
“A defesa foi brilhante. Os advogados conseguiram convencer o conselho que meu trabalho está péssimo. Foi insuficiente o conjunto de provas que eu dizia ter. Eles [os conselheiros] entenderam que o meu relatório está mal feito”, ironizou Jorge Hélio.
Na avaliação do relator do processo, a decisão do CNJ praticamente garante a “absolvição” dos dois magistrados suspeitos. O conselheiro ressalta que o desembargador Godeiro Sobrinho, que tem 69 anos, não poderá mais sofrer nenhuma punição, já que irá se aposentar compulsoriamente na próxima sexta (1º), quando faz aniversário. Pela legislação, os servidores públicos são obrigados a se aposentar ao completarem 70 anos.
“A não ser que o CNJ discuta a reversão da aposentadoria por idade para aposentá-lo por punição. Mesmo assim, ele (Godeiro Sobrinho) terá a oportunidade de recorrer ao STF para reverter essa eventual decisão”, destacou.
Durante o julgamento da denúncia do Rio Grande do Norte, os conselheiros também aprovaram proposta de Jorge Hélio para abrir uma sindicância na Corregedoria Nacional de Justiça contra os dois desembargadores.
O objetivo é verificar se os supostos desvios praticados durante a gestão de Rafael Sobrinho e Osvaldo Cruz no comando do tribunal impactaram na administração da atual presidente da corte, desembargadora Judith Nunes.
Em razão das denúncias, o setor responsável pelo pagamento dos precatórios do TJ-RN ficou fechado ao público por cerca de três meses. A chefe do departamento, Carla Ubarana, foi presa e afirmou em depoimento ao Ministério Público que o esquema tinha a participação dos dois desembargadores.

Fonte;G1
 
29/01/2013 20h55 - Atualizado em 29/01/2013 20h56

Anvisa envia técnicos a Campinas e avalia interdição nacional de remédio



Três pacientes morreram após passar por exame de ressonância cerebral.
Suspeita é de que composto químico ou soro causaram as mortes.

Do G1 Campinas e Região
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), ligada ao Ministério da Saúde, enviará a Campinas (SP), nesta quarta-feira (29), dois técnicos especializados em epidemiologia para acompanhar a apuração da causa da morte de três pacientes que foram submetidos ao exame de ressonância cerebral. Segundo a assessoria de imprensa do órgão, é possível que haja a interdição, em âmbito nacional, do lote dos medicamentos usados nos pacientes.
A principal suspeita é de que as mortes tenham sido causadas por problemas com o contraste, composto químico aplicado nos pacientes antes do exame ou no soro fisiológico aplicado neles após o procedimento. A investigação é conduzida pelo Departamento de Vigilância Sanitária de Campinas (SP), mas na tarde desta terça-feira técnicos da Vigilância Sanitária Estadual também acompanharam os procedimentos a pedido do município. Já foram interditados no âmbito estadual o uso e comercialização dos medicamentos do mesmo lote usado no Hospital Vera Cruz, onde ocorreram as mortes.
Por meio da assessoria de imprensa, a Anvisa reforçou que a investigação seguirá sob os cuidados do município e que os técnicos do órgão farão apenas o acompanhamento da apuração para que sejam definidas as diretrizes em âmbito nacional. A possibilidade de ampliar a interdição do lote dos medicamentos a todo o país será avaliada após a visita dos técnicos.
O Hospital Vera Cruz, em Campinas (Foto: Fernando Pacífico / G1 Campinas)Hospital Vera Cruz, em Campinas, onde foram registradas mortes (Foto: Fernando Pacífico / G1 Campinas)
O caso
Três pessoas morreram entre a tarde e a noite de segunda-feira após realizarem exames de ressonância magnética no hospital particular Vera Cruz, em Campinas. A Vigilância em Saúde interditou o setor responsável pelo procedimento da unidade de saúde por tempo indeterminado e pretende investigar se o contraste, composto químico utilizado no exame, tem relação com as mortes.
Segundo o corpo clínico do hospital, dois homens, de 36 e 39 anos, e uma mulher, de 25 anos morreram após uma parada cardiorrespiratória. Dois começaram a passar mal minutos depois do exame e um paciente chegou a deixar a unidade médica, mas retornou a unidade após sentir dores. Outros 83 pacientes realizaram ressonâncias no mesmo dia, no entanto, não apresentaram nenhum tipo de reação.
As vítimas tinham situações clínicas diferentes e não foram diagnósticados com doenças em estágio avançado, segundo o diretor administrativo do Vera Cruz, Gustavo Carvalho. No entanto, ele afirmou que as causas ainda são desconhecidas e que aguarda o laudo do Instituto Médico Legal (IML).
Após a constatação das mortes, a direção do hospital acionou a polícia. As salas e os materiais utilizados durante os procedimentos foram lacrados, de acordo com a direção da unidade. O caso foi registrado no 1° Distrito Policial da cidade.
Os registros de óbitos foram feitos às 18h de segunda-feira e a remoção dos corpos foi feita pelo IML às 2h desta terça-feira. Por recomendação da vigilância, os corpos vão passar por autópsia.
Segundo a assessoria de imprensa, após a comunicação das mortes feita pelo hospital à Vigilância em Saúde, foi solicitada o envio de técnicos para a área de diagnósticos e também o Centro de Vigilância do Estado foi notificado.

De acordo com a direção do hospital, são realizados 2 mil exames por mês e nenhum registro de ocorrências deste tipo foi registrado na unidade. O hospital também informou que está colaborando com os órgãos competentes.
Perfil de Mayra Monteiro em rede social (Foto: reprodução/ internet)Perfil do Facebook de Mayra Monteiro, uma das
vítimas do caso (Foto: reprodução/ internet)
Pacientes
Entre as vítimas estão a administradora de empresa de Campinas Mayra Cristina Augusto Monteiro, 25 anos, que deixa uma filha de 4 anos. Também faleceu o paciente de Santa Rita de Cássia, o zelador Manuel Pereira de Souza, 39 anos, casado e pai de uma filha de 6 anos. Ele será enterrado na Bahia, em um distrito da cidade natal. O terceiro paciente é Pedro José Ribeiro Porto Filho, 36 anos.
Mayra e Pedro foram velados e sepultados em cemitérios de Campinas na tarde desta terça-feira (29). O zelador Manuel Pereira de Souza seria enterrado em sua terra natal, na Bahia.
Medicamentos interditados
- Magnevistan, solução injetável, Lote 11568D, com validade: 03/2015, fabricado por Bayer S.A, registro MS 1.7056.0065;
- Dotarem, solução injetável, Lote 12GD324C, com validade: 10/2015; fabricado por Guerbet Produtos Radiológicos,com registro MS 1.4980.0016
- Soro Fisiológico (NaCl) 250ml, fabricado por Eurofarma Laboratórios Ltda, Lote 252731, com validade:08/2014;
- Soro Fisiológico 500ml, fabricado por Eurofarma Laboratórios Ltda, Lote 249031, com validade:08/2014;
- Soro Fisiológico 250ml, fabricado por Eurofarma Laboratórios Ltda, Lote 245825, com validade:07/2014;
- Soro Samtec 10ml, Lote SOG, validade: 02/2014;Lote SSN validade 05/2014,
- Soro Equiplex 10ml, Lote 1230970, validade: 07/2014


Fonte;G1
29/01/2013 19h38 - Atualizado em 29/01/2013 20h33

RESSONÂNCIA MAGNÉTICA PODE MATAR?




Após três mortes, SP vai interditar remédios usados em ressonâncias

Diário Oficial do Estado publicará lista medicamentos nesta quarta-feira.
Decisão foi tomada após três pacientes morrerem em Campinas.

Do G1 Campinas e Região
Técnicos da Secretaria da Saúde de São Paulo deixam o Hospital Vera Cruz, em Campinas (Foto: Fernando Pacífico / G1 Campinas)Técnicos da Vigilância Sanitária Estadual estiveram
em Campinas (Foto: Fernando Pacífico / G1)
O governo do Estado de São Paulo vai interditar, cautelarmente, os lotes de medicamentos usados em três pacientes de Campinas (SP), que morreram após exames de ressonância magnética no hospital particular Vera Cruz. A determinação será publicada no Diário Oficial (DO) desta quarta-feira (30), segundo a assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Saúde.

A lista a ser publicada no DO terá o nome de sete medicamentos, de cinco fabricantes. São soros e soluções injetáveis que foram usados nos pacientes. Os produtos utilizados nos procedimento em Campinas foram recolhidos e serão analisados no Instituto Adolfo Lutz. A interdição também será publicada no Diário Oficial do município.

A Vigilância Sanitária Estadual informou que a interdição é cautelar. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, a pedido do município, uma equipe de farmacovigilância e de radiação ionizante de esteve no hospital nesta terça-feira para auxiliar nos trabalhos. As inspeções devem continuar nos próximos dias.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), ligada ao Ministério da Saúde, enviará a Campinas, nesta quarta-feira (29), dois técnicos especializados em epidemiologia para acompanhar a apuração da causa da morte de três pacientes. É possível que haja a interdição cautelar do lote do medicamento usado nos pacientes em âmbito nacional.

A Secretaria Municipal de Saúde recomendou a suspensão de exames de ressonância em toda a cidade, mas a partir desta quarta-feira (30) o procedimento está liberado, desde que não sejam usados medicamentos dos lotes interditados.


Fabricantes
A assessoria de imprensa da Eurofarma Laboratórios informou que só se pronunciará sobre o assunto após ser notificada da interdição.

Em nota, a Bayer disse que também não foi notificada oficialmente e que "está disposta a colaborar com as autoridades responsáveis pelas investigações, caso seja solicitada a prestar quaisquer esclarecimentos".

A Samtec informou que não foi notificada oficialmente, mas que está à disposição para prestar possíveis esclarecimentos. O G1 ligou também, no fim da tarde, para as fabricantes Equiplex e  Guerbert Produtos Radiológicos, mas ninguém foi localizado para comentar o assunto.

  •  
Lotes de medicamentos interditados no Estado de SP
Magnevistan, solução injetável, Lote 11568D, com validade: 03/2015 fabricado por Bayer S.A, registro MS 1.7056.0065
Dotarem, solução injetável, Lote 12GD324C, com validade: 10/2015; fabricado por Guerbet Produtos Radiológicos,com registro MS 1.4980.0016
Soro Fisiológico (NaCl) 250ml, fabricado por Eurofarma Laboratórios Ltda, Lote 252731, com validade:08/2014;
Soro Fisiológico 500ml, fabricado por Eurofarma Laboratórios Ltda, Lote 249031, com validade:08/2014;
Soro Fisiológico 250ml, fabricado por Eurofarma Laboratórios Ltda, Lote 245825, com validade:07/2014;
Soro Samtec 10ml, Lote SOG, validade: 02/2014;Lote SSN validade 05/2014
Soro Equiplex 10ml, Lote 1230970, validade: 07/2014
Fonte: Secretaria de Saúde de SP
O caso
Três pessoas morreram entre a tarde e a noite de segunda-feira após realizarem exames de ressonância magnética no hospital particular Vera Cruz, em Campinas. A Vigilância em Saúde interditou o setor responsável pelo procedimento da unidade de saúde por tempo indeterminado e pretende investigar se o contraste, composto químico utilizado no exame, tem relação com as mortes.
 Dois homens, de 36 e 39 anos, e uma mulher, de 25 anos morreram após uma parada cardiorrespiratória. Dois começaram a passar mal minutos depois do exame e um paciente chegou a deixar a unidade médica, mas retornou a unidade após sentir dores. Outros 83 pacientes realizaram ressonâncias no mesmo dia, no entanto, não apresentaram nenhum tipo de reação.
As vítimas tinham situações clínicas diferentes e não foram diagnósticados com doenças em estágio avançado, segundo o diretor administrativo do Vera Cruz, Gustavo Carvalho. No entanto, ele afirmou que as causas ainda são desconhecidas e que aguarda o laudo do Instituto Médico Legal (IML).
Após a constatação das mortes, a direção do hospital acionou a polícia. As salas e os materiais utilizados durante os procedimentos foram lacrados, de acordo com a direção da unidade. O caso foi registrado no 1° Distrito Policial da cidade.
Os registros de óbitos foram feitos às 18h de segunda-feira e a remoção dos corpos foi feita pelo IML às 2h desta terça-feira. Por recomendação da vigilância, os corpos vão passar por autópsia.
Segundo a assessoria de imprensa, após a comunicação das mortes feita pelo hospital à Vigilância em Saúde, foi solicitada o envio de técnicos para a área de diagnósticos e também o Centro de Vigilância do Estado foi notificado.
De acordo com a direção do hospital, são realizados 2 mil exames por mês e nenhum registro de ocorrências deste tipo foi registrado na unidade. O hospital também informou que está colaborando com os órgãos competentes.
Vítimas
Entre as vítimas estão a administradora de empresa de Campinas Mayra Cristina Augusto Monteiro, 25 anos, que deixa uma filha de 4 anos. Também faleceu o paciente de Santa Rita de Cássia, o zelador Manuel Pereira de Souza, 39 anos, casado e pai de uma filha de 6 anos. Ele será enterrado na Bahia, em um distrito da cidade natal. O terceiro paciente é Pedro José Ribeiro Porto Filho, 36 anos.


Fonte;G1
 29/01/2013 19h13 - Atualizado em 29/01/2013 21h45




Para médico, soro fisiológico pode ter causado mortes após ressonância

Especialista acha que a causa foi a substância aplicada após o contraste.
Três pacientes morreram após passarem por procedimento no Vera Cruz.

Marcello Carvalho Do G1 Campinas e Região
Hospital Vera Cruz em Campinas, onde ocorreram as mortes (Foto: Reprodução EPTV)Hospital Vera Cruz, local em Campinas onde
ocorreram as mortes (Foto: Reprodução EPTV)
Para o médico especialista em radiologia Fernando Pollara, a solução salina à base de cloreto de sódio, aplicada em pacientes após o exame de ressonância, pode ter causado a morte das três pessoas nesta segunda (28), no Hospital Vera Cruz, em Campinas (SP). A substância, injetada após o exame, serve, segundo o especialista, para purificar o organismo e hidratar o paciente após a aplicação do contraste, composto químico aplicado antes do procedimento médico. Para Pollara, profissionais podem ter trocado a substância.
A Vigilância em Saúde afirmou na manhã desta terça que uma das possíveis causas das mortes pode estar relacionada ao uso do contraste. O especialista, entretanto, afirmou ao G1 que as doses de contraste usadas em ressonância são pequenas e dificilmente levariam à morte três pacientes na mesma ocasião. "O contraste, em condições normais, dificlmente mata três pessoas. Talvez essa solução salina aplicada não fosse realmente uma solução salina e isso causou os problemas, por isso, acho difícil que a causa seja o contraste", disse.
O Departamento de Vigilância Sanitária de Campinas informou que o soro fisiológico, ou solução salina, também está sob suspeita. Além da Devisa, a Vigilância Sanitária do estado de São Paulo e a Polícia Civil também estão envolvidos na apuração do caso. Segundo o secretário de Saúde, Carmino Souza, ainda não há uma linha de apuração bem definida porque foram usados nos três pacientes dois tipos de contraste e dois equipamentos diferentes. O hospital informou, ainda, que foram diferentes funcionários que fizeram o exame em cada uma das vítimas.
Como funciona a ressonância
Segundo o médico radiologista, a situação mais comum para a aplicação da ressonância magnética é a identificação de lesões ou edemas em diferentes locais do corpo. Pollara afirmou que o exame é utilizado principalmente para analisar melhor tumores e edemas de fígado, mas também pode ser usado para exames mais simples, como a identificação de uma hérnia de disco ou de um problema ósseo. "O paciente entra em um tubo, fica lá por meia hora e sai como se nada tivesse acontecido. É muito tranquilo. Os casos mais sérios se usa o contraste, os menos sérios não é necessário", disse.
Sobre a utilização do contraste, Pollara explicou que trata-se de uma substância injetável que serve para o médico obter um conhecimento melhor da lesão. "O contraste limpa a imagem, ele se espalha pela corrente sanguínea e deixa os tecidos mais claros e faz o médico identificar exatamente o que o paciente tem", disse. Segundo ele, a ressonância é um exame muito menos agressivo do que a tomografia, quando o volume de contraste pode ser de dez vezes mais.
O médico ainda ressaltou que nenhum paciente entra em um exame de ressonância magnética sem assinar um termo de compromisso admitindo que conhece os riscos do procedimento.
Risco
Os riscos da utilização do contraste variam entre pequeno, médio e grave. Os pequenos são: dores de cabeça, náusea e sensação de calor. Os riscos médios se tratam de vômitos intensos e aceleração nos batimentos cardíacos. Já os graves variam entre fechamento da garganta e dificuldade de respiração, choque anafilático, quando o paciente tem uma reação alérgica intensa e até parada cardíaca. "Mas a parada cardíaca acontece em apenas 0,3% dos casos e quando a dose de contraste é muito grande, o que não é o caso em uma ressonância", disse.

O caso
Segundo o corpo clínico do hospital, dois homens, de 36 e 39 anos, e uma mulher, de 25 anos morreram após uma parada cardiorrespiratória. Dois começaram a passar mal minutos depois do exame e um paciente chegou a deixar a unidade médica, mas retornou a unidade após sentir dores. Outros 83 pacientes realizaram ressonâncias no mesmo dia, no entanto, não apresentaram nenhum tipo de reação.

As vítimas tinham situações clínicas diferentes e não foram diagnósticados com doenças em estágio avançado. No entanto, afirma que as causas ainda são desconhecidas e que aguarda o laudo do Instituto Médico Legal (IML).


 
29/01/2013 19h03 - Atualizado em 29/01/2013 19h09

Pacientes mortos após ressonância são enterrados em Campinas, SP

Homem de 36 e jovem de 25 foram sepultados nesta terça em Campinas.
Vigilância apura se remédios causaram mortes em hospital particular.

Do G1 Campinas e Região
Dois dos pacientes que morreram após passar por exames de ressonância magnética no hospital particular Vera Cruz, em Campinas (SP), foram enterrados na tarde desta terça-feira (29) em cemitérios da cidade. Três pessoas, sendo dois homens, de 36 e 39 anos, e uma mulher de 25 anos, morreram de parada cardiorrespiratória durante a tarde e a noite de segunda-feira (28) após passar pelo exame. A terceira vítima será enterrada na Bahia.
A administradora de empresas Mayra Cristina Augusto Monteiro, de 25 anos, que deixa uma filha de 4 anos, foi enterrada às 16h30 no Cemitério da Conceição. Durante o velório de Mayra, o ex-marido, Tiago Maraes de Barros, disse que a vítima estava totalmente saudável ao realizar o exame e reafirmou o desejo de esclarecimento da morte. "É complicado, tem que averiguar onde foi o erro. Você vai no hospital buscando saúde e não para perder a vida", afirmou.
Sem esperança
"A gente tem medo de tudo e a gente tem cada vez menos esperança", disse a publicitária Maria do Carmo Pereira ao comparecer ao sepultamento de Pedro José Ribeiro Porto Filho, de 36 anos, no Cemitério das Aleias. Segundo a amiga da família da vítima, o homem era saudável e estava casado há um ano e meio.

O corretor de imóveis Arnaldo Pompeo, também amigo da família de Porto Filho, afirmou que já fez o exame duas vezes e ficou surpreendido com as mortes. "A gente começa a se preocupar né. Você faz algo como uma prevenção e acontece essa tragédia", disse.
O paciente de Santa Rita de Cássia, o zelador Manuel Pereira de Souza, 39 anos, casado e pai de uma filha de 6 anos, também faleceu. Ele será enterrado na Bahia, em um distrito da cidade Natal.


 Fonte:G1

Municípios têm até dia 1º para aderir ao Programa de Valorização de Atenção Básica


As prefeituras municipais têm até dia 1º de fevereiro para aderir ao Programa de Valorização do Profissional da Atenção Básica (Provab), instituído pelo Ministério da Saúde com o objetivo de estimular e valorizar o profissional que atua em equipes multiprofissionais no âmbito da Atenção Básica e da Estratégia de Saúde da Família. O prazo para adesão dos médicos vai até 5 de fevereiro.

Instituído pela Portaria Interministerial Nº 2.087, de 1º de setembro de 2011, partindo do objetivo prioritário do Ministério da Saúde de garantir o acesso de toda a população a uma atenção à saúde de qualidade, o Provab contempla profissionais médicos, enfermeiros e cirurgiões-dentistas que já tenham concluído a graduação em sua respectiva área e que sejam portadores de registro profissional junto ao conselho de classe, e os municípios considerados áreas de difícil acesso ou de populações de maior vulnerabilidade.

O programa contará com a supervisão presencial e à distância desenvolvida por tutores de instituição de ensino superior, hospitais de ensino ou outros serviços de saúde com experiência em ensino, selecionados por meio de editais específicos. Aos profissionais que participarem do programa pelo prazo de dois anos, será oferecido curso de especialização em Saúde da Família, sob responsabilidade das universidades públicas participantes do Sistema Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde (UNA-SUS).

Os municípios contemplados e que desejarem participar do Provab deverão firmar alguns compromissos, como contratar, pelo prazo mínimo de 12 meses, profissionais médicos, enfermeiros e cirurgiões-dentistas com remuneração equivalente a praticada pela Estratégia de Saúde da Família, e oferecer moradia para a equipe contratada, quando houver necessidade, a partir de critérios estabelecidos em editais. Os estados e municípios que aderirem ao programa deverão firmar Termo de Compromisso com o Ministério da Saúde, no qual ficarão estabelecidas as responsabilidades e compromissos de cada participante, além de celebrar Termo de Cooperação com as instituições de ensino selecionadas pelo Provab que atuarão na supervisão dos profissionais.

O profissional médico, avaliado e aprovado no Provab e que pretender o ingresso em qualquer programa de residência médica, terá um bônus em sua pontuação. Os critérios e os meios para avaliação dos profissionais médicos, enfermeiros e cirurgiões-dentistas participantes do programa serão definidos pela Comissão Coordenadora e publicados por meio de ato específico.

De acordo com o diretor do Centro Formador de Recursos Humanos (Cefor-PB), Volmir Brutscher, o programa está aberto para adesão dos municípios e de médicos. O Ministério da Saúde propõe uma bolsa de R$ 8.000,00 aos médicos selecionados para o programa, com ganhos de 10% de acréscimo na pontuação obtida em programa de residência, quando tiverem ao menos um ano de participação no Provab.
Segundo Talita Lira, técnica da Gerência Operacional de Atenção Básica da Secretaria de Saúde do Estado (SES), os municípios devem aderir ao programa. “O Provab vai beneficiar os municípios, garantindo os profissionais médicos na equipe por o mínimo de um ano. Esse profissional vai estar matriculado em um curso de especialização e será avaliado mensalmente. O Provab vai valorizar o profissional e melhorar o atendimento em Atenção Básica nos municípios”, explicou.

Para informações sobre como aderir ao programa, os municípios e os profissionais médicos devem ligar para a coordenação da Gerência Operacional de Atenção Básica, pelos telefones 3218-7409 e 3218-7424.

Secom
Enviado pelo blog:SINDAVAS-PB

Pesquisar este blog