Google+ Followers

domingo, 31 de março de 2013

CEM DIAS, SEM NADA



















Tirado CAMARAGIBE TEM JEITO


Enviado pelo Blog;Bio ACS

Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2)


O prazo para seleções termina no dia 5 de abril



O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) recebe até o dia 05 de abril inscrições de Unidades Básicas de Saúde (UBS) em todo o país para seleção 2013. A meta é criar 1.253 novas unidades e ampliar 5.629 já existentes.
Os investimentos apoiarão a construção de novas UBS com padrão indicado pelo Ministério da Saúde, a ampliação de unidades existentes para alcançar o padrão mínimo ou para aumentar a oferta de serviços. Para participar, os municípios devem possuir unidades próprias, ou seja, os investimentos não poderão ser utilizados para ampliação de unidades alugadas. Os recursos também não poderão ser utilizados para aquisição de equipamentos e mobiliário.
Para o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, o programa, agora na segunda etapa, garante mais qualidade no atendimento à população pelo Sistema Único de Saúde (SUS). “Aquela imagem de que uma Unidade Básica de Saúde do SUS tem que ser um postinho acanhado aonde se entrar um médico não cabe o enfermeiro, se entrar o enfermeiro não cabe o agente de comunidade de saúde. Nós temos que mudar de vez com o SUS, que tenha como grande obsessão a qualidade do atendimento. Por isso, o ministério criou uma linha especifica dentro do PAC2 para ampliação”, afirma o ministro.
Os municípios devem enviar as propostas através do Sistema de Monitoramento de Obras do Ministério da Saúdeaté o dia 5 de abril. Para cadastrar, é necessária a utilização da mesma senha do Fundo Nacional de Saúde.
O PAC – O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), criado em 2007 pelo então presidente Luís Inácio Lula da Silva, objetiva a retomada do planejamento e execução de grandes obras de infraestrutura social, urbana, logística e energética do país, contribuindo para o seu desenvolvimento acelerado e sustentável.
Nos seus primeiros quatro anos, o PAC ajudou a dobrar os investimentos públicos brasileiros, de 1,62% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2006 para 3,27% em 2010, e ajudou o Brasil a gerar um volume recorde de empregos – 8,2 milhões de postos de trabalhos criados no período. Em 2011, o PAC entrou na segunda fase, prevista para ser finalizada em 2014.

FONTE: Jéssica Macêdo/ Blog da Saúde com informações do Portal do PAC

Enviaddo pelo Blog:Bio ACS

sábado, 30 de março de 2013

Salgueiro prorroga por 180 dias situação de emergência por causa da seca


Por meio do decreto n◦ 007\2013, de 23 de março de 2013, o prefeito Marcones Libório de Sá, prorrogou por 180 dias, o prazo de situação de emergência, em grande parte da zona rural, por conta da severa estiagem que se estende deste o final do ano passado. A medida foi tomada em razão da continuidade dos efeitos da seca em grande parte do Nordeste, principalmente na região do Sertão Central. A decisão se deu mais ainda por conta da redução das precipitações pluviométricas no município para níveis inferior ao ano de 2012, comprometendo as reservas hídricas.
Durante todo esse período, o quadro de estiagem tem registrado danos humanos e prejuízos econômicos e sociais, conforme resumo do formulário de avaliação de danos, de acordo com a resolução n◦ 3 do Conselho Nacional de Defesa Civil (Condec). A intensidade deste desastre foi dimensionada como nível II,  considerando ainda o decreto n◦ 008\12, de 3 de abril que institui a situação de emergência no município.

Mesmo com os esforços e ações da Prefeitura através da Secretaria de Desenvolvimento Rural que tem investido na construção de cacimbas e  na busca de atender outras necessidades hídricas para as famílias das comunidades rurais. Desde janeiro, já foram construídos mais de 50 cacimbas, beneficiando diversas comunidades a exemplo de Acauã, Melancia, Baixio Grande, Alazão, Tamburil, Hipólito, Baixio do Gravatá e Caldeirão das Letras.
A prefeitura também vem atuando, em parceria com a Secretaria de Agricultura e Reforma Agrária do Estado, nas frentes de abastecimento das comunidades através de carros pipa. O governo municipal tem buscado também apoio de outras entidades como a Defesa Civil do Estado, visando planejar ações que venham evitar que maiores consequências possam agravar ainda mais o atual cenário.
A situação de normalidade é valida apenas para a área rural comprovadamente afetada pelo desastre, conforme prova documental estabelecida pelo formulário de avaliação de danos. As localidades afetadas são o I distrito, o II Distrito (Conceição das Crioulas), IV Distrito e V Distrito (Pau-Ferro).

Informações: Prefeitura de Salgueiro
Enviaedo pelo Blog:Falando Francamente

sexta-feira, 29 de março de 2013

Povo quer água em Aroçoiaba

 

Moradores da Vila Itapiré localizada as margens da PE - 41, realizaram um protesto dia 26 de março, fechando a rodovia para chamar a atenção das autoridades para a falta de água na comunidade. Milhares de famílias não possuem mais água para o consumo e a preparação de alimentos. Com a palavra a Companhia Pernambucana de Saneamento, para informar aos moradores, se alguma providência vai ou está sendo tomada.
Fotos: Firmino Caetano Junior: Recife.
Fernando Melo. Igarassu/PE.
Enviado pelo Blog:As Mazelas do Recife

AGENTES DE SAÚDE QUE FAZEM OUTRAS ATIVIDADES QUE NÃO SÃO DE SUAS ATRIBUIÇÕES EM SEU TRABALHO.

 



FOTO: DIVULGAÇÃO.

É verdade Companheiros e Companheiras de todo País, Muitos agentes de saúde fazem outros atividades na unidade, Que não são suas atribuições como por exemplo: Abrir e fechar a unidade, varrer, lavar banheiros, ficar na recepção da unidade para atendimento, Aferir pressão, aplicar vacina e entregar medicamento na farmácia entre outros.

Companheiros e Companheiras mesmo que você goste, Digo com toda certeza isto pode ser uma falta muito grave e virá um grande problema na sua vida, Que pode chegar a perder o emprego e até mesmo ser detido entre outros.

O agente de saúde quando faz atividades que não é da sua atribuições ele tira a responsabilidade do município para colocar sobre se, Onde esta responsabilidade pode se torna uma culpa muito séria para ele, Alem de deixa sua micro área descoberta.

Uma das mais perigosas que acho é aferir pressão, aplicar vacina e ficar na farmácia para entregar medicamentos, Se tiver uma fiscalização dos órgãos competentes ou se você por ventura entregar medicamento errado ou tiver alguma complicação com o paciente usuário do medicamento, Acredito que pode ser um problema muito serio para o agente de saúde, sendo descoberto ou tendo uma denúncia.

Queros que todos saibam que o pau só quebra do lado mais fraco e com certeza o lado mais fraco vai ser do agente de saúde envolvido na situação e digo ainda mais não espere defesa da gestão, Por isto digo se alguém perdi para você fazer alguma trabalho que não seja da atribuição do agente de saúde, Peça um documento dizendo para você fazer a atividade, Assinado e Carimbado pelo mesmo
.
 
AÍ VOCÊ VAI A RESPOSTA !

Enviado pelo Blog:BIO ACS
 

quarta-feira, 27 de março de 2013

VEREADORES COMPARECEM A REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAUDE DE CAMARAGIBE-PE

              Nesta Segunda Feira, 25 de março, contamos com a presença inédita  de dois Vereadores na reunião ordinária do Conselho municipal de Saúde de Camaragibe-PE. O Vereador Paulo André e o Vereador   Júlio,  além da presença do secretário adjunto de saúde, Alexandre Ricardo.
             O sr. Péricles, inspetor da Vigilância Sanitária do Município, fez apresentação sôbre  condições de acondicionamento e consumo de Crustáceos visto que estamos na semana de Páscoa. O mesmo adiantou que, a apresentação serviu para ocupar o tempo com alguma coisa, já que no prédio da Vigilância Sanitária, além de sucateado, está faltando tudo, até folha para impressão. Inclusive acrescentou que não tem jurídico, roupas adequadas e nem carro.É, Camaragibe, a sua vigilãncia sanitária está precisando de vigilância!  Porém, de acordo com a prestação de contas  da antiga gestão enviadas ao CMS, a verba não deixou de vir. Isso é trabalho para o TCE.
                 A Conselheira Laudicéa, fez questão de explicitar a situação caótica em que se encontra o Município.A ausência da Vigilância sanitária é absurdamente notada pelo descaso ao meio ambiente do trabalho e em geral. Falou da ausência de extintores de incendio nos PSFs, Emerg e Escolas, da falta de material de limpeza, dos banheiros quebrados nas Escolas, prejudicando o bom andamento das atividades, da falta D'água prolongada nos PSFs e Escolas, da falta de acessibilidade,a ausência dos Kits de Emergência nos postos entre outros. O secretário adjunto de saúde disse que esse problema seria com a Vigilância Sanitária. A Vigilância Sanitária diz que está sem pernas pra trabalhar . A Saúde não deveria trabalhar com medidas preventivas? A conselheira fez questão de lembrar a "tragédia de Santa maria" e terminou lembrando que lágrimas não apagam incêndio! O que ficou entendido é que: O problema não é da secretaria de saúde, a Vigilãncia Sanitária está em estado crítico,o corpo de Bombeiros não é notificado ou dá Autorização de funcionamento sem fazer vistorias, a ANVISA, ninguem vê. As autoridades não  estão nem aí! Agora, quando acontece o sinistro...todo mundo se mexe e se solidariza! Que País é esse?
        Vários munícipes, ousaram denunciar falta de médicos, medicamentos e estrutura nos PSFs.Além da dificuldade tremenda para marcar exames especiais e inclusive, segundo um outro usuário, em marcar exames simples de laboratório. Enquanto isso, o governo responde ao Ministério da Saúde que os exames são liberados de acordo com a demanda, que tem vários atendentes e que está tudo bem!  Segundo denúncias, há pacientes com requisição de um ou dois anos, e não sabem ainda quando farão os exames.Camaragibe carimba e manda para o Estado. O Estado diz que os exames devem ser feitos em camaragibe por ser plena, e os pacientes ficam de cá pra lá, até desistirem ou algums, resolverem  pagar. Isso também não é novidade. Essa e outras queixas, estão registradas em Ata  no CMS.

          É     incrível que desde 2010, o município se encontra sem Junta médica e faltando profissionais especializados. De acordo com o sr Alexandre Ricardo, a partir de Abril, com a homologação do concurso de 2012, pela Prefeitura e  IPAD, esses problemas serão amenizados.
              O Sr Flávio Eduardo, secretário executivo do CMS, lembrou que o Conselho, no desempenho do papel  social como um todo, cobrou o cumprimento da lei 504, 505 e 508; respectivos PCCVs, que beneficiam o trabalhador e foram aprovados na Câmara na gestão  passada e sancionada pelo Prefeito, que já deveria  ter sido executada, pois sabemos que  Projeto de lei se discute. Após  aprovada, a lei deve ser cumprida! Sem contar que o atual Vice-prefeito, quando  antes vereador, achou certo e  aprovou a lei. Agora não cola dizer que é Incostitucional!
                
                  Representantes  do      Sindicato dos Servidores municipais de camaragibe, estiveram presente e também registraram a reunião.
                 As autoridades    presentes  ouviram e anotaram as queixas. Resta saber o que farão, pois  nada  é novidade, há anos denuncio e por isso sou penalizada.
                 E pensar que   Camaragibe  é gestão plena de saúde e já foi exemplo para o mundo!
                  




Laudicéa: Conselheira municipal de Saúde (Seguimento do trabalhador).

O SINDACS/SLZ JÁ TEM NOVA DIRETORIA PARA A GESTÃO 2013 / 2016



Vitória dos ACS’s na eleição do Sindicato de Agentes Comunitários de Saúde de São Luis - MA. 
 
Encabeçada pelo companheiro Sérgio Gutemberg que também é diretor da Nova Central Sindical a chapa 1 “Somos todos nós – Compromisso e Justiça Social” pretende fazer uma gestão diferenciada, enfatizando os novos desafios e perspectivas para o movimento sindical de ACS’s e também garantir a continuidade do grande trabalho feito pelos Agentes Comunitários de Saúde em São Luis e no Estado.
 
Em fala o companheiro Sérgio agradeceu primeiramente á toda a categoria de ACS’s, em seguida parabenizou o grande trabalho da Comissão Eleitoral e dos advogados envolvidos no processo eleitoral, assim como a Nova Central Sindical de Trabalhadores do maranhão pelo grande apoio á chapa 1, e em especial ao companheiro Luiz Henrique Presidente da FETHEMAPI pela atenção dada em toda a campanha da chapa 1.
 
A comemoração foi feita logo após a apuração, e na comemoração o Presidente da Nova Central Sindical de Trabalhadores – MA se pronunciou dizendo que está muito feliz pela eleição da chapa 1 e enfatizou que a categoria ACS, assim como as outras é muito importante para a construção da luta pela valorização do trabalhador.
 
 
 
FONTE: SINDACS/SLZ.
Enviado pelo Blog:Bio ACS

Médicos devem responder na Justiça por morte de aposentada em Maceió



Hospital de Maceió negou atendimento médico a Edlene da Silva.
Promotor de Justiça acompanhará o caso, diz Ministério Público.

Natália Souza Do G1 AL

Promotor ouve mototaxista que denuncia fata de atedimento em unidade de saúde (Foto: Divulgação/Assessoria)Promotor ouviu viúvo sobre morte de esposa por
falta de médico. (Divulgação/Assessoria)
O promotor Sidrack Nascimento afirmou, na manhã desta sexta-feira (15), que os médicos que deveriam estar no plantão do mini pronto-socorro Denilma Bulhões, no sábado (02), podem responder judicialmente pela morte da aposentada Edlene da Conceição Silva que teve atendimento negado no local.
"O que houve na noite da morte da moça foi muito grave. Primeiro porque o ambulatório estava sem médicos. Segundo porque os motoristas das ambulâncias estavam disponíveis mas também foram omissos para a transferência dela para outro local e terceiro que as recepcionistas não permitiram que ela fosse acolhida", afirmou.
De acordo com Nascimento, a lista de médicos que deveriam estar no plantão já está em suas mãos. "O Ministério público já solicitou o acompanhamento de um promotor de Justiça no caso, pois houve uma morte e tem responsáveis. Também solicitamos punição administrativa para o gestor do pronto-socorro e dos médicos, que estão sendo investigados através de uma sindicância pela Secretaria de Estado da Saúde", afirmou. 
Na esfera civil, os responsáveis poderão responder a uma Ação Civil Pública. De acordo com Nascimento, as duas recepcionistas que não permitiram que Edlene fosse sequer cadastrada, serão ouvidas nas próximas terça e quarta-feira.
Entenda o caso
Na semana passada, o mototaxista Josenildo Jorge da Silva, marido de Edlene Conceição da Silva, foi ouvido pelo promotor Sidrack Nascimento. Segundo ele, a esposa sentiu fortes dores no peito e que ele saiu com ela até o mini pronto-socorro Denilma Bulhões, no Benedito Bentes.

Ele disse que explicou a gravidade da situação, mas a recepcionista estava ao telefone e não lhe deu atenção. Sem a ajuda das ambulâncias ele resolveu levar a esposa para outro hospital em uma moto e, em seguida, pegou um taxi.
Edlene chegou a ser atendida no Hospital IB Gatto Falcão, no Tabuleiro, mas após receber o medicamento, ela morreu. 



 
04/03/2013 22h01 - Atualizado em 04/03/2013 22h21

MP vai investigar falta de médicos em postos de saúde da capital alagoana

Caso resultou na morte de uma mulher que não conseguiu atendimento.
Edlene Conceição, 37 anos, foi a óbito após sofrer ataque cardíaco.





 
04/03/2013 22h01 - Atualizado em 04/03/2013 22h21

MP vai investigar falta de médicos em postos de saúde da capital alagoana

Caso resultou na morte de uma mulher que não conseguiu atendimento.
Edlene Conceição, 37 anos, foi a óbito após sofrer ataque cardíaco.

Do G1 AL

Após a morte da paciente Edlene da Conceição por falta de atendimento médico, o promotor do Ministério Público (MP), Sidrack Nascimento, abriu um procedimento administrativo para investigar os profissionais que não estão cumprindo suas escalas nos ambulatórios do estado.
“Não queremos que ocorram outras mortes. Outras pessoas precisam do estado, de atendimento médico, para que casos como o desta senhora não volte a acontecer”, afirmou o promotor Sidrack Nascimento.
Com uma greve que teve início há quase 3 meses, os 30% do atendimento determinado pela justiça não estão sendo cumpridos pelos médicos nos ambulatórios 24 horas de Alagoas. Edlene da Conceição, 37, passou em dois ambulatórios antes de encontrar uma vaga em uma terceira unidade de saúde onde faleceu.
A mulher morreu ao chegar na unidade do Tabuleiro do Martins, mas antes de chegar no local, seu marido contou que a levou para o Mini Pronto Socorro Denilma Bulhões, no bairro do Benedito Bentes, e para o Ambulatório Assis Chateaubriand, mas ambos estavam sem médicos.
Segundo o Serviço de Verificação de Óbito (SVO), Edlene faleceu vítima de um infarto, a família informou que ela sentia fortes dores no peito. Josenildo da Silva, esposo da vítima, contou que a transportou em uma moto.“Coloquei ela na moto e vim. Ela tomou uma injeção e chegou a melhorar, mas depois morreu”, afirmou.
A Secretaria de Estado de Saúde de Alagoas (Sesau) confirma que 100% dos médicos que trabalham nos ambulatórios do estado estão parados e que só consegue contratar alguns médicos extras por falta de mão de obra.

“As medidas que estão sendo tomadas são as que a gente vem providenciando diante da carência normal que já existe na área médica, que é tentar suprir com a contratação de profissionais. Os chamados plantonistas extras, que atuam para cobrir os médicos durante este período de greve”, explicou a diretora de atenção hospitalar da Sesau, Maria Aparecida Cavalcante.

Idosa deixa de receber pensão em AL porque INSS diz que ela está morta


Benefício foi bloqueado há sete meses após confusão com documentação.
Previdência Social orientou aposentada a procurar Receita Federal.

Do G1 AL, com informações da TV Gazeta
Uma aposentada de 89 anos teve o benefício bloqueado há sete meses e o motivo surpreendeu a família: para a Previdência Social, Antônia Josefa da Conceição está morta. O motivo da confusão é que ela nasceu no mesmo dia que uma outra mulher, que faleceu de fato. O curioso é que a outra Josefa também tem o mesmo número de CPF e ninguém sabe explicar se houve falha no registro ou se houve uso indevido por parte de uma delas.
O filho de Dona Josefa, José Norberto da Silva, revela que tomou um susto quando procurou saber o motivo do não pagamento. “Esperamos o 2° pagamento, como não caiu procuramos a Previdência. Eles me disseram que o benefício foi cancelado porque minha mãe estava morta”, diz.
O INSS recebeu a informação do cartório de um atestado de óbito com nome e CPF iguais aos da beneficiária viva. Ela mora em Colônia de Leopoldina, região Norte de Alagoas, e já fez várias viagens a Maceió com a finalidade de resolver o problema. Mas o INSS orientou que a aposentada procure a Receita Federal.
“Não há dúvidas que ela está viva, mas isso é um problema técnico que precisa ser resolvido”, reconhece, Marcelo Barbosa, gerente da agência do INSS.
Na documentação, a única diferença entre elas é o nome da mãe. Enquanto o problema não é resolvido, Dona Josefa está sendo prejudicada, porque deixou de comprar os remédios que precisa.
“Dependo dos meus remédios, mas não tenho como comprar sem o dinheiro que recebo. Faço um tratamento para dor de cabeça e nunca poderia imaginar que passaria por esta situação”, desabafa.
O gerente do INSS garante que a aposentada não ficará prejudicada. “Quando ela fizer o novo documento, ela terá direito, inclusive ao retroativo”.
No ano passado, quatro casos parecidos foram registrados na previdência social. Quem passar por problema semelhante, deve procurar a agência com toda a documentação em mãos.

‘Professores de Uberaba são ameaçados por alunos", diz sindicato


Educadores de Uberaba estão com medo das agressões em sala de aula.
Sindicato orienta profissionais a denunciarem, inclusive para polícia.

Luiz Vieira Do G1 Triângulo Mineiro

Professores enfrentam ameaças em escolas (Foto: Reprodução/TV Integração)Professores enfrentam ameaças em escolas
(Foto: Reprodução/TV Integração)
Professores de algumas escolas em Uberaba estão com medo de dar aulas, pois constantemente eles recebem ameaças, agressões físicas e verbais. Segundo representantes sindicais da categoria, os problemas com os alunos estão se tornando cada vez mais comuns nas instituições públicas, estaduais ou particulares.
Enquanto no setor público os sindicatos orientam os professores a registrar ocorrência e denunciar as ameaças, no setor privado a mesma prática é adotada, mas um disque-denúncia foi criado para facilitar o processo para o educador.
Para uma professora da rede estadual de Uberaba, que prefere não se identificar, a ação de apenas repreender um aluno que estava tumultuando a aula se tornou uma experiência traumática.  “Estava em sala de aula e precisei chamar a atenção do aluno que atrapalhava o andamento da aula. O estudante, que já tinha histórico de problemas na escola, não gostou de se repreendido, me desacatou com ofensas e ainda ameaçou dizendo que na rua as coisas são resolvidas de outra forma”, disse a professora. Segundo ela, a direção da escola tomou providências e o estudante foi transferido, mas o medo de encontrá-lo novamente permanece.
Segundo a coordenadora geral do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais em Uberaba (Sind-UTE), Maria Helena Gabriel, os professores são orientados a registrar uma ocorrência em caso de ameaças ou agressão. Mas muitos ainda preferem evitar este tipo de situação e as vezes o problema não é repassado.
“O professor tem o direito de buscar os direitos dele, fazendo um boletim de ocorrência para se resguardar sobre qualquer tipo de ameaça. As escolas também tem que tomar providências quando acontece alguma ameaça a qualquer funcionário. Ao longo da história sabemos de casos de professores que acabaram abandonando o ensino por condição de ameaça”, afirmou.

Para o presidente do Sindicato dos Educadores do Município de Uberaba (Sindemu) e também professor Adislau Leite, os professores precisam buscar mais seus direitos.  No início do mês de março ele foi ameaçado de morte por um aluno na escola onde leciona. O caso foi parar em uma delegacia da cidade e terminou com o aluno transferido para outra escola. O professor ainda deve processar a família do estudante. “Tudo corre dentro dos procedimentos legais. Eu fiz a representação, prestei depoimento na delegacia e já falei com o advogado. Tive toda a assistência da Secretaria Municipal de Educação e também da diretora da escola. Mas já acionei o advogado do sindicato e vamos mover um processo contra a família e aí é a Justiça que vai decidir, mas vou tocar o processo até o fim.”

De acordo com o sindicalista, relatos de violência nas escolas são cada vez mais recorrentes e o sindicato orienta o professor a sempre registrar queixa e oferece também orientação para os professores caso seja necessário. “Nós cobramos junto a categoria, para não deixar passar. Se não, os alunos não vaão aprender a respetar o professor", disse.

Escolas particulares

Já o Sindicato dos Professores do Estado de Minas Gerais (Sinpro-MG) adotou uma medida diferente para reforçar o combate a este tipo de violência na escola particulares. O grupo desenvolveu uma campanha chamada ‘Paz nas escolas’ e criou um disque-denúncia onde professores podem registrar problemas sobre atos de violência.

Segundo o professor e diretor do Sinpro em Uberaba, Marcos Gennari, o serviço está ativo desde 2011 e tem registrado diversos tipos de ocorrências. “Existe outro tipo de violência na rede particular, que é o assédio pelo aluno, pelo dono da instituição e, as vezes, pelos familiares dos estudantes. Tivemos denúncias que já repassamos para o Ministério Público do Trabalho de professoras que foram ameaçadas pelos pais de perder o emprego", afirmou. Para Marcos, a relação de trabalho na escola particular é mais frágil do que na escola pública, pois os professores recebem este tipo de ameaça.

Ainda de acordo com o professor, problemas como estes já foram registrados até mesmo em universidades. “Certa vez, um professor deu uma dependência para um aluno e quando encontrou com ele nos corredores da faculdade, foi ameaçado. O estudante teria dito que se não passasse de período ele estaria prometido”, finalizou.

Coreia do Norte corta 'telefone vermelho' militar com Coreia do Sul

Comunicação entre exércitos rivais fica interrompida.
Medida ocorre em meio a aumento da tensão militar na península.

Do G1, em São Paulo

O exército da Coreia do Norte suspendeu seu "telefone vermelho militar" com a Coreia do Sul, de forma que todas as comunicações diretas entre os exércitos dos dois países ficarão cortadas, informou nesta quarta-feira (27) uma agência de notícias oficial.
"A partir de agora, as comunicações militares Norte-Sul ficarão cortadas", disse um militar citado pela agência Korean Central News Agency.
"Em uma situação na qual uma guerra pode explodir a qualquer momento, não é necessário manter" as comunicações, acrescentou.
A linha ficará suspensa "enquanto durarem as ações hostis e anacrônicas do sul", segundo a fonte.
Em meados de março, a Coreia do Norte já havia suspendido o "telefone vermelho" entre os governos de Pyongyang e Seul.
Esta linha de urgência, instalada em 1971, foi suspensa pelo Norte em cinco ocasiões.
 Soldados sul-coreanos andam em rodovia durante treinamento militar em Paju, na fronteira com a rival Coreia do Norte, nesta quarta-feira (27) (Foto: AFP) Soldados sul-coreanos andam em rodovia durante treinamento militar em Paju, na fronteira com a rival Coreia do Norte, nesta quarta-feira (27) (Foto: AFP)
O movimento é o mais recente em uma série de ameaças belicosas da Coreia do Norte em resposta a novas sanções da ONU, impostas após um terceiro teste nuclear realizado em fevereiro, e de exercícios militares "hostis" entre os EUA e a Coreia do Sul.
Na véspera, o governo de Pyongyang anunciou que seu poderio bélico estava apontado para alvos americanos.
O Pentágono criticou a atitude e afirmou que os EUA estão prontos para reagir a qualquer situação.
O Norte já tinha parado de responder às chamadas em uma linha direta com o Exército norte-americano, que supervisiona a fortemente armada Zona Desmilitarizada (DMZ), e a linha da Cruz Vermelha, que era utilizada por governos de ambos os lados.
"Na situação em que uma guerra pode estourar a qualquer momento, não há nenhuma necessidade de manter comunicações militares entre o norte e o sul, que foram estabelecidas entre as Forças Armadas de ambos os lados", afirmou o porta-voz militar.
"Não existe nenhum canal de diálogo e meios de comunicação entre a República Popular da Coreia do Norte e os EUA e entre o norte e o sul."
As Coreias do Norte e Sul ainda estão tecnicamente em guerra, após o conflito civil entre 1950 e 1953 ter sido encerrado com um armistício, e não com um tratado.
Recentemente, a Coreia do Norte afirmou que suspendeu a validade do armistício unilateralmente.
O "canal de diálogo" é usado diariamente para registrar sul-coreanos que trabalham no projeto industrial Kaesong, onde 123 empresas sul-coreanas empregam mais de 50 mil norte-coreanos para produzir bens domésticos.
É o último projeto conjunto que resta em operação entre as Coreias, após o Sul ter cortado a maior parte da ajuda e do comércio em resposta à morte a tiros de um turista sul-coreano e o naufrágio de uma embarcação naval sul-coreano, que foram considerados de responsabilidade da Coreia do Norte.
'Assunto importante'
A KCNA também afirmou que o comitê central do Burô político do partido comunista realizará uma reunião plenária antes do fim de março para "discutir e decidir sobre um assunto importante para o avanço vitorioso da Revolução Coreana".

Esta reunião também marcará "uma guinada crucial" para o cumprimento da "Juche", a ideologia norte-coreana que se baseia principalmente na autossuficiência econômica.
"A cada vez, a Coreia do Norte aumenta mais e mais a barreira da retórica, mas a comunidade internacional não reage como o esperado", opinou Cho Han-Bum, um analista do Instituto Coreano para a Unificação Nacional.
Segundo este especialista, a próxima reunião do Burô político busca manter a pressão através de gestos simbólicos.


 
26/03/2013 04h30 - Atualizado em 26/03/2013 10h07

Coreia do Norte põe tropas em posição de combate e mira EUA

Norte-coreanos apontam mísseis para bases dos Estados Unidos.
Alvos seriam bases em Guam, Havaí e no continente americano.

Do G1, em São Paulo

A Coreia do Norte colocou nesta terça-feira (26) suas tropas em posição de combate, com armas apontadas para alvos americanos em Guam (na Oceania), no Havaí, e também no continente dos Estados Unidos.
O governo norte-coreano ordenou que suas unidades de mísseis estratégicos estejam prontas para disparos.
“O comando superior do Exército Popular da Coreia declara que todas as tropas de artilharia, incluindo as unidades de mísseis estratégicos e as unidades de artilharia de longo alcance devem estar em preparadas para combate de classe ‘A’”, informa comunicado da Agência Central de Noticias Coreana, a "KCNA".
Líder norte-coreano Kim Jong-un supervisiona exercício militar de suas tropas. (Foto: KCNA / Via Reuters)Líder norte-coreano Kim Jong-un supervisiona exercício militar de suas tropas. (Foto: KCNA / Via Reuters)
A nova ameaça é represália aos novos sobrevoos de caças americanos sobre a península coreana, durante exercícios conjuntos com a Coreia do Sul.
A KCNA informou que as unidades de artilharia da Coreia do Norte também têm na mira alvos da Coreia do Sul.
Tropas norte-coreanas fazem treinamento de chegada e defesa de costa em praia não identificada do país. Em meio ao momento de tensão internacional, o país colocou suas tropas em posição de combate, com armas apontadas para alvos americanos. (Foto: AFP/KCNA) “Mostraremos a dura reação de nossa Exército e povo”, diz a nota norte-coreana. “Para salvaguardar através de ações militares nossa soberania e dignidade”, acrescenta o comunicado.
Horas antes, a agência destacou que o líder norte-coreano Kim Jong-un dirigiu pessoalmente exercícios de defesa com fogo real na costa leste do país.
Pyongyang já havia ameaçado na quinta-feira passada atacar as bases militares americanas no Japão e Guam, como resposta aos voos de treinamento dos caças americanos B-52 na Coreia do Sul.
O ministro sul-coreano da Defesa, Kim Kwan-jin, ordenou as tropas a responder com dureza a qualquer agressão.
Segundo um porta-voz do ministério da Defesa da Coreia do Sul, "até o momento não houve nenhum movimento de tropas excepcional".
A presidente sul-coreana, Park Geun-hye, advertiu a Coreia do Norte que o "caminho para sobreviver" inclui o abandono dos programas nucleares e de mísseis, em uma cerimônia em memória aos marinheiros da corveta 'Cheonan'.
Em março de 2010, 46 marinheiros sul-coreanos morreram em um ataque contra a corveta "Cheonan", atribuído por uma investigação internacional a Pyongyang, que nega.
A China, principal aliada da Coreia do Norte, afirmou "esperar que as partes atuem com moderação para atenuar a tensão.
Apesar do lançamento com êxito de um foguete de longo alcance em dezembro - que a Coreia do Sul e seus aliados consideraram um teste de míssil balístico -, analista acreditam que Pyongyang ainda precisa de muitos anos para desenvolver um verdadeiro míssil intercontinental que possa atingir o território dos Estados Unidos.
Havaí e Guam também estariam fora do alcance de seus mísseis de médio alcance, que no entanto seriam capazes de atacar as bases militares americanas na Coreia do Sul e Japão
O líder norte-coreano Kim Jong-Un realizou nas últimas semanas visitas de inspeção a unidades de forças que estão posicionadas perto da linha divisória com a Coreia do Sul.
A linha divisória de fato (a chamada Linha Limítrofe Norte) entre os dois países não é reconhecida por Pyongyang, sob a alegação de que foi unilateralmente determinada pelas forças da ONU depois da guerra da Coreia, entre 1950 e 1953.
No sábado, a agência oficial KCNA informou que Kim, que fez uma visita de inspeção a uma unidade das forças especiais, ordenou uma ação "na velocidade da luz" no caso do início de uma guerra.
Mísseis são disparados em treinamento do Exército da Coreia do Norte, sob vistoria de Kim Jong-un. (Foto: AFP/KCNA)Mísseis são disparados em treinamento do Exército da Coreia do Norte, sob vistoria de Kim Jong-un. (Foto: AFP/KCNA)
 




20/03/2013 07h32 - Atualizado em 20/03/2013 07h33

Voo de B-52 dos EUA é 'provocação imperdoável', diz Coreia do Norte

Sobrevoo ocorreu durante treinamentos militares com Coreia do Sul.
Tensão na Península Coreana cresce, e Pyongyang ameaça com ação.

Da AFP

A Coreia do Norte qualificou nesta quarta-feira (20) de "provocação imperdoável" o voo de treinamento de um bombardeiro B-52 americano sob o espaço aéreo sul-coreano, como parte de suas manobras conjuntas, e ameaçou retaliar com uma ação militar.
"É uma provocação imperdoável", declarou um porta-voz do ministério norte-coreano das Relações Exteriores em declarações à agência oficial KCNA.
"Os Estados Unidos introduzem meios de ataque estratégico nuclear na península coreana quando a situação está a ponto de descambar para a guerra" e Pyongyang promete uma "resposta militar vigorosa caso tal bombardeiro realize uma nova saída".
O Pentágono revelou na segunda-feira que no dia 8 de março um bombardeiro estratégico B-52 sobrevoou a Coreia do Sul durante as manobras anuais "Foal Eagle" entre os dois países.
A agência sul-coreana Yonhap informou nesta quarta-feira que o B-52 também voou na terça.
 

Suprema Corte pode derrubar lei que nega direitos a casais gays nos EUA


Lei foi sancionada em 1996 por Bill Clinton.
Principal tribunal americano faz debate inédito sobre casamento gay.

Da Reuters
Vários juízes da Suprema Corte dos Estados Unidos indicaram nesta quarta-feira (27) interesse em derrubar uma lei que nega benefícios federais a casais do mesmo sexo legalmente casados, apresentando a possibilidade de uma importante mudança em poucos meses na lei do casamento entre homossexuais.
O juiz Anthony Kennedy, um voto decisivo potencial, advertiu sobre os "riscos" que a Lei de Defesa do Casamento (Doma) infringe sobre o papel tradicional dos Estados na definição do casamento.
A lei norte-americana de 1996, sancionada pelo então presidente Bill Clintonxx, nega aos casais do mesmo sexo casados acesso a benefícios federais por definir o casamento como a união entre um homem e uma mulher.
Kennedy referiu-se ao Doma como "inconsistente" porque pretende dar autoridade aos Estados para definir o casamento, enquanto limita o reconhecimento dessas determinações estaduais.
O casamento gay já é reconhecido por nove Estados do país mais o Distrito de Columbia (capital). Em 30 Estados, por outro lado, há emendas constitucionais que o proíbem expressamente.
A corte deve decidir sobre a questão até o fim de junho.
No lado liberal do banco, as juízas Sonia Sotomayor e Elena Kagan repetiram algumas das preocupações de Kennedy sobre a questão de diretos dos Estados.
"O que dá ao governo federal o direito de se preocupar com a definição do casamento?", perguntou Sotomayor.
A juíza Ruth Bader Ginsburg também levantou preocupações sobre a lei, destacando a importância do reconhecimento federal a qualquer pessoa legalmente casada.
"Afeta todas as áreas da vida", ela disse.
Comparando status de casamento com tipos de leite, Ginsburg disse que um casamento gay endossado pelo Estado, mas não reconhecido pelo governo federal, poderia ser visto como o equivalente a "leite desnatado".
A lei é o centro de um segundo dia de argumentos orais perante o alto tribunal enquanto ele discute a questão do casamento gay.
É possível que o tribunal não atinja a questão mais ampla no caso DOMA por causa das questões legais preliminares relacionadas ao que o tribunal pode ouvir.
Naquela questão, juízes conservadores criticaram a decisão do presidente norte-americano, Barack Obama, de abandonar a defesa legal do DOMA e questionaram sua prontidão de defender leis aprovadas pelo Congresso e contestadas em tribunal. "É muito problemático", disse Kennedy.
Embora as críticas possam não afetar como os juízes vão decidir, isso mostrou a frustração com o modo como Obama lidou com uma questão política difícil sobre o casamento gay.
Obama e seu procurador-geral, Eric Holder, disseram em fevereiro de 2011 que iriam deixar de defender a lei porque acreditavam que ela fosse inválida sob a Constituição dos Estados Unidos.
No lugar do Departamento de Justiça, os parlamentares republicanos entraram em cena para defender a lei.

Fonte:G1

Grupo protesta contra uso de drones pelo governo norte-americano








Grupo bloqueou o acesso à base aérea em Nevada.
Dez pessoas foram presas durante manifestação.

Do G1, com AP

Manifestante mascarado carrega um modelo de drone usado pela Força Aérea nos EUA (Foto: Julie Jacobson/AP)Manifestante mascarado carrega um modelo de drone usado pela Força Aérea nos EUA (Foto: Julie Jacobson/AP)
Dezenas de pessoas bloquearam o acesso à base da Força da Aérea Creech, em Nevada, em protesto contra o uso de drones (aviões não tripulados) pelo governo norte-americano.
Os manifestantes se deitaram na estrada para impedir a passagem de oficiais. Dez pessoas foram presas durante o protesto organizado pelo grupo 'Nevada Desert Experience' que realiza uma caminhada anual pela paz, contra o uso de armas nucleares e drones.
A caminhada leva cinco dias entre Las Vegas e a área de testes de Nevada, uma reserva do Departamento de Energia dos Estados Unidosx.
Protestro bloqueou acesso à base aérea em Nevada (Foto: Julie Jacobson/AP)Protestro bloqueou acesso à base aérea em Nevada (Foto: Julie Jacobson/AP)
 
 
27/03/2013 18h39 - Atualizado em 27/03/2013 18h51
 
 
 
 

Indústria pedirá em reunião que Anac libere voo de 'drones' de menor porte

Levantamento inédito do G1 mostrou que vants voam no país sem regras.
Empresas querem classificação clara e liberação dos modelos de até 7 kg.

Tahiane Stochero Do G1, em São Paulo

Representantes de empresas fabricantes de drones – veículos aéreos não tripulados (vant, na sigla em português) – têm reunião marcada para o dia 4 de abril com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para discutir a regulamentação para o uso civil e com fins comerciais deste tipo de equipamento no país. A objetivo inicial do setor é classificar os diferentes tipos de vants e flexibilizar as regras de operação para modelos de menor porte.
Na segunda-feira (25), levantamento inédito feito pelo G1 apontou que mais de 200 drones voam no Brasil sem regras definidas. O número foi obtido a partir de informações passadas por fabricantes, importadores, empresas e órgãos de governos estaduais.

Entenda a proposta da indústria apresenta à Anac para uso comercial
1 - Classificação que difere drones por peso

Classe A - 2 kg ou menos
Classe B - entre 2 kg e 7 kg
Classe C - entre 7 kg e 25 kg
Classe D - entre 25 kg e 150 kg
Classe E - Acima de 150 kg

2 - Diferenciar as regras para cada classe
3 - Vants das classes A, B e C podem operar sem licença de voo ou notificação para FAB
4 - Classes A e B podem operar sem precisar de certificado de aeronavegabilitade
5 - O voo não pode ser autônomo, tem que alcançar distância máxima de 500 metros e altitude máxima de voo de 150 metros
6 - Voos não podem ultrapassar 150 metros de áreas povoadas e a 5,5 km de aeroportos
7 - As empresas que irão operar terão de ser certificadas e podem ser inspecionadas
8 - A licença será para operações de serviços de emergência, defesa civil, segurança, polícia, fotografia comercial, levantamento de dados, meio ambiente e agricultura.
Fonte: Abinde
Drones Tipos Arte 1 (Foto: Editoria de Arte / G1)
Querendo lucrar depois dos investimentos de mais de R$ 100 milhões nos últimos anos, a Associação Brasileira de Indústria de Defesa (Abimde) entregou no último dia 14 de fevereiro à Anac um requerimento pressionando a agência a permitir voos com fins comerciais e até que vants operem sobre cidades, duas coisas que não são autorizadas atualmente.
As empresas brasileiras querem ainda que os aviões não tripulados de até 7 kg possam voar sem certificação e sem expedir Notam – a notificação enviada à Aeronáutica com pelo menos 30 dias de antecedência para reserva do espaço aéreo e para alertar pilotos de aeronaves tripuladas.
"Vamos discutir uma proposta que a Abinde apresentou à Anac, uma tentativa de ao menos categorizar os vants em diversos tipos e flexibilizar algumas regras para as aeronaves não tripuladas de menor porte, permitindo que indústria avance no país", disse Antonio Mendes de Oliveira Castro, presidente da comissão de vants da Associação Brasileira de Indústria de Defesa (Abimde), sobre a reunião que irá ocorrer em São José dos Campos (SP), onde várias indústrias do setor estão sediadas.
Segundo a Abinde, a Anac confirmou que vai à reunião. Um representante do Departamento de Controle de Espaço Aéreo (Decea) também deve participar da discussão, pois o órgão da Aeronáutica é responsável por autorizar o voo de drones.
A agência confirmou ter recebido a proposta da Abinde e informou que tem estudos sobre a regulamentação. A agência não confirmou quem seria seu representante na reunião com os empresários do setor.
Panorama atual
A Anac trata como aviões não tripulados apenas vants com peso superior a 25 kg, o que exclui boa parte dos drones produzidos no país.

A agência reconhece a importância do uso civil dos drones, tanto para a indústria como para a sociedade, mas afirma que, "devido aos novos desafios e características associadas ao voo remoto, são necessárias adequações na regulamentação deste tipo de aeronave para garantir níveis de segurança".
Na prática, apenas dois vants da Polícia Federal estão aptos a voar após terem recebido um Certificado de Autorização de Voo Experimental (Cave), expedido pela Anac para casos especiais, garantia de que a agência fez a avaliação do projeto técnico e de aeronavegabilidade, atestando as condições de segurança da aeronave.
As empresas pedem também que não seja exigido que as aeronaves portem transponders (que mostram no radar sua posição) ou sensores de localização, alegando que instrumentos com essas funções são caros e não seriam necessários para a segurança aérea.

"Não pretendemos entrar em detalhes técnicos específicos, mas uma estratégica para conduzir conjuntamente avanços na regulamentação de forma rápida", disse Oliveira Castro, representante da Abinde, destacando que as empresas esperam ouvir os argumentos da Anac e da Aeronáutica para tentar avançar nas negociações em busca de uma normatização.

"Pedimos que a regulamentação seja feita para todos aviões de até ou mais de 150 kg, pois é o parâmetro que a Europa usa. Só que precisamos com urgência que as classes menores, mais demandadas e com menor risco em caso de acidente por impacto, sejam autorizadas imediatamente, pois a regulação é muito mais simples", defende Ulf Bogdawa, diretor da SkyDrones Aviônica, um dos autores da proposta apresentada.
A Anac informou que não possui regulamentação específica relacionada à operação de Sistemas de Aeronaves Remotamente Pilotadas (RPAS) com fins lucrativos e que, quando recebe um pedido para isso, o caso não é caracterizado como aeronave experimental.
A agência não informa o número de vants operantes no Brasil porque o cadastro de aviões experimentais, usado para as aeronaves remotamente pilotadas, também engloba outros tipos de modelos, não sendo possível separar só os drones.
A chegada dos 'drones'
Os drones – zangão ou zumbido, em inglês – desempenham funções que antes dependiam de aviões e helicópteros tripulados, buscando maior eficiência e alcance, redução de custo e mais segurança (veja nos vídeos ao lado drones em ação no Brasil e voos dos dois tipos mais comuns).
A nova tecnologia virou polêmica nos Estados Unidos e em todo o mundo depois que o país desenvolveu avançados modelos armados e passou a usar regularmente os "aviões-robôs" para destruir alvos no Oriente Médio. Milhares de pessoas já foram mortas em ataques de drones, muitas delas inocentes, todas sem julgamento ou chance de defesa. Entre membros da Organização das Nações Unidas (ONU), a preocupação é de que mais países passem a utilizar os drones como arma, numa escalada das mortes à distância.
Apesar de popularizado pela controversa utilização militar, é o uso civil dos drones que pode transformar inúmeros serviços. Com formatos e tamanhos variados, o número de máquinas voadoras controladas remotamente deve crescer em ritmo acelerado nos próximos anos no país e no mundo, devido à facilidade de voo, ao baixo custo e às inovações tecnológicas preparadas para cada modelo, como uso de câmeras, filmadores, sensores de raio-x, entre outros.
Número de voos com 'drones' dobra
O Departamento de Controle Aéreo (Decea) foi informado oficialmente de 61 voos com vants (veículos aéreos não tripulados) em 2012 no Brasil, mais que o dobro dos 29 registrados no ano anterior, segundo números da Aeronáutica obtidos com exclusividade pelo G1. Segundo a Força Aérea Brasileira (FAB), os pedidos foram feitos por forças policiais, órgãos públicos e empresas.

As notificações de voos de drones precisam ser feitas com antecedência de até 30 dias para que o espaço aéreo seja reservado e os pilotos de aeronaves tripuladas sejam avisados. No local em que um vant atua, aviões não podem entrar.
"As notificações, chamadas de Notam, não são uma autorização, mas avisos de reserva de espaço aéreo. Se recebemos notificação de um vant que não é registrado na Anac, damos informações de que é preciso se regularizar", diz o major Cyro Cruz, representante do Brasil nas discussões da Organização Internacional de Aviação Civil (ICAO) sobre o tema. "Pode haver pessoas operando vant e que não comunicam a FAB também. Mas se isso ocorre, está fora da norma", completa.
A Aeronáutica restringe voos de drones a altitudes acima de 150 metros (para áreas não povoadas) ou mais de 600 metros, para locais em que haja construções. A proposta do setor é seja autorizado voos a baixa altitude – até 150 metros – para vants menores.
Nesses casos, seria exigida apenas uma licença de operação para as empresas que iriam fazer uso das máquinas. O uso comercial seria autorizado para segurança pública e polícia, serviços de emergência, fotografia comercial, levantamento de dados, defesa civil, trabalhos com meio ambiente e agricultura.
"Muitos países estão ainda avaliando social e economicamente os benefícios para desenhar uma legislação que permita desenvolver as capacidades civis e comerciais da indústria nacional de drones. A AUVSI apoia extremamente iniciativas de regulação interna dos países que permitam o uso responsável e seguro destes aviões, duas coisas extremamente importantes para que o futuro", diz Gretchen West, vice-presidente da Associação Internacional de Veículos Não Tripulados.
Segurança da Copa 2014 terá 'drones'
A segurança do espaço aéreo brasileiro durante a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada de 2016 terá apoio de pelo menos seis veículos aéreos não tripulados – vants, como os drones são chamados em português – da Polícia Federal e da Aeronáutica. Os equipamentos já serão usados para monitoramento durante os jogos da Copa das Confederações, entre 15 e 30 de junho, que servirá de teste para os eventos dos anos seguintes.


Fonte:G1
26/03/2013 13h17 - Atualizado em 27/03/2013 09h16

Pesquisar este blog