Google+ Followers

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Termina a greve dos policiais militares em Pernambuco

c0db018dbafdee37b4b93bd739479440.jpg


Em assembleia, PMs decidiram terminar a greve. Decisão não foi unânime
Foto: Mariana Dantas/NE10

Após três dias de braços cruzados, termina a greve da Polícia Militar de Pernambuco. A decisão foi tomada nesta quinta-feira (15) à noite, depois de reunião entre representantes dos PMs e governo, no Palácio do Campo das Princesas, área central do Recife. A paralisação começou na última terça-feira (13) e, nas últimas 48 horas, a população pernambucana viveu um verdadeiro clima de guerra, com tanques do Exército circulando nas ruas da Região Metropolitana do Recife.
A categoria conquistou quatro pontos considerados emergenciais. São eles: incorporação de auxílio de risco de morte ao salário base, beneficiando ativos e inativos; plano de cargos e carreiras a partir da próxima segunda-feira (19), com a criação de uma comissão que irá avaliar junto aos deputados estaduais as promoções na categoria; reestruturação do Hospital da Polícia Militar e criação de unidades de saúde para a categoria no interior do Estado; além da promessa do governo estadual de que o aumento salarial voltará a ser debatido na primeira semana de janeiro de 2014, após os impedimentos causados pela lei de responsabilidade fiscal e lei eleitoral.


Fonte:NE10http://ne10.uol.com.br/canal/cotidiano/grande-recife/noticia/2014/05/15/termina-a-greve-dos-policiais-militares-em-pernambuco-487972.php

Obs: Em alguns quartéis a tropa continua recolhida aguardando as últimas instruções. O resultado da greve foi positivo, mesmo não tendo conseguido de imediato a garantia de todos os pontos.
O prejuízo, porém, infelizmente, a população é quem arca. Não havia necessidade de se chegar ao ponto que chegou. O governo precisa ter a sensibilidade de reconhecer  uma reivindicação legal e justa. Trabalhador é um ser "apeado" e só requer o que lhe pertence por direito, geralmente com amparo legal e mesmo assim  lhe é negado. Se os gestores cumprissem a lei, não haveria desgaste.

Laudicéa

Pesquisar este blog