Google+ Followers

domingo, 21 de setembro de 2014

Amazonas: Comandante e sub da Polícia Militar são afastados por decisão do TRE

O vice-presidente e corregedor do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), desembargador João Mauro Bessa, acatou o pedido da Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) e afastou liminarmente, neste sábado (20), o comandante geral da Polícia Militar, coronel Eliézio Almeida da Silva e o subcomandante, coronel Aroldo Ribeiro.
A medida cautelar foi solicitada pela PRE-AM, na quarta-feira (17), após investigações do órgão apontarem uma suposta ação da Polícia Militar com o propósito de favorecer o atual governador e o candidato a vice pela mesma chapa, Henrique Oliveira, além do candidato a deputado estadual pelo PV, Platiny Soares.
A decisão do Tribunal estabeleceu um prazo de 48 horas para o cumprimento das determinações, contado a partir da notificação. De acordo com a liminar, os dois coronéis devem permanecer afastados da Polícia Militar de Manaus até a data da proclamação dos candidatos eleitos. Caso a determinação seja descumprida, o desembargador determinou o pagamento de uma multa de R$ 150 mil por dia.
Além da mudança no comando da PM, a PRE-AM solicitou a inelegibilidade de José Melo, do seu candidato a vice Henrique Oliveira, e a cassação do registro do candidato a deputado estadual Platiny Soares (PV). Sobre a medida cautelar da procuradoria para suspender o retorno de Platiny à PM, o desembargador argumentou que "escapa à competência da Justiça Eleitoral suspender ato administrativo em medida cautelar, cujo efeito principal, a sua anulação, não diz respeito a esta Justiça Especializada", conforme trecho da decisão.
A PRE afirma que as suspeitas estão evidenciadas a partir de uma gravação em áudio apresentada ao órgão, que teria sido feita em uma reunião dos oficiais ocorrida no dia 27 de agosto, conduzida pelo então comandante geral da PM, Eliézio da Silva. De acordo com a procuradoria, o comandante direciona a atuação da tropa em prol da reeleição de José Melo.
A denúncia foi feita por um militar presente no encontro realizado durante o expediente da corporação na sede do Comando de Policiamento Metropolitano (CPM). Segundo o procurador regional eleitoral substituto no Amazonas, Jorge Medeiros, Eliézio da Silva subiu ao cargo de comandante dias após a reunião.

Fonte: http://g1.globo.com/am/amazonas/eleicoes/2014/noticia/2014/09/decisao-do-tre-afasta-comandante-e-sub-da-policia-militar-do-amazonas.html

Pesquisar este blog