Google+ Followers

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

CAMARAGIBE: SECRETARIA DE EDUCAÇÃO IMPEDE O SINDICATO DE COMPOR O CONSELHO MUNICIPAL

O Conselho Municipal de Educação de Camaragibe (CME),  existia de direito mais não de fato. Em 2010, professores componentes da entidade representativa da categoria resolveram somar para fazer valer o funcionamento e angariar melhoria monitorando verbas e ações da educação. Passaram a exigir o cumprimento da lei e cobrar execução de obras além de prestação de contas da gestão, ficando na lista dos 'maus vistos'.
Desde o início da atual gestão, membros do conselho e secretaria de educação tem se reunido para elaboração de uma nova lei para o conselho municipal de educação, onde  constaria a representação sindical tendo em vista  a garantia de participação ampla do controle social nos reclames da sociedade pela transparência pública e privada.
Em meados deste ano, o Ministério da Educação exigiu uma comprovação de funcionamento dos conselhos municipais e a prefeitura rapidinho enviou documento para a presidente do CME, solicitando sua assinatura comprovando o funcionamento do mesmo.
Ocorre que,  agora, a mesma secretaria que reconheceu a coordenadora do sindicato como presidente do CME, hoje, desconhece. 
Em assembleia geral, servidores escolheram nomes de profissionais da educação para compor a nova gestão do conselho e nela, constava nomes de representantes da entidade representativa da categoria  escolhidos democraticamente.  
Recentemente, o departamento de projetos especiais da prefeitura, desrespeitando o conselho em exercício, decidiram sem nenhuma informação a seus membros, que não haverá representação do sindicato na nova composição do Conselho Municipal de Educação.
A categoria está indignada pela atitude autoritária e ante democrática da gestão. Quem trabalha certo, não teme fiscalização.
Faz-se necessário a união de todos que lutam pelo controle social, conselhos e entidades  afins para a garantia da ampliação de participação e contra qualquer tipo de opressão e perseguição contra aqueles que lutam permanentemente por uma cidade melhor.
Se a gestão "manda" no conselho onde fica a tão falada autonomia do órgão?

Laudicéa

Pesquisar este blog