Google+ Followers

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Rio: 16 PMs são presos por extorsão

Dayzer foi preso (Foto: Reprodução/TV Globo)
Dayzer era o comandante do batalhão da Ilha do
Governador (Foto: Reprodução/TV Globo)
Segundo investigações, policiais sob o comando do coronel Dayser Corpas,  eram proibidos de reprimir a venda de drogas, o transporte alternativo clandestino de vans e Kombis e mototaxistas ilegais na região. Gravações de conversas entre policiais e criminosos e trocas de mensagem por celular  mostram que a principal mercadoria à venda pelos policiais era a omissão.
Na quarta-feira (8),  o coronel Dayzer  Corpas foi escolhido     pela Polícia Militar do Rio de Janeiro para ser o subchefe do   Comando de Policiamento Especializado. Ele deixava de comandar um único batalhão, o da Ilha do Governador,   para  ser  o  responsável      por outros seis.  Mas, não chegou a assumir     o     cargo.       Na manhã seguinte ele foi preso em casa - uma mansão com vista para   a Baía de Guanabara.
A prisão do oficial,  juntamente com 15 de seus  subordinados,   é a conclusão de uma investigação que durou sete meses.  Todos foram acusados pelo sequestro de dois criminosos, pelos quais     exigiram R$ 300 mil pelo resgate.  O crime fazia parte de um       esquema de extorsão estabelecido pelo comandante  do batalhão.
Para o promotor Paulo Roberto Mello Cunha, não há dúvida nenhuma sobre o pagamento do resgate. “A informação que nós temos, foi possível apurar no inquérito, é que esse dinheiro foi dividido entre, na verdade, todos os policiais que participaram da ação. Segundo as informações, R$ 40 mil teriam sido destinados para o comandante do batalhão e essa quantia foi dividida em valores menores para os denunciados que participaram mais diretamente do sequestro”, disse.

Veja mais:http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2014/10/gravacoes-e-mensagens-revelam-detalhes-da-prisao-de-16-pms-no-rio.html

Pesquisar este blog