Google+ Followers

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

CAMARAGIBE: CONSELHO DE SAÚDE APRESENTA MOÇÃO DE REPÚDIO CONTRA A GESTÃO


Nesta segunda feira (17) no Auditório Irene Francisco Rodrigues foi apresentado uma moção de repúdio contra a gestão (prefeito Jorge Alexandre), na abertura da reunião ordinária, pelo descaso com o controle social da cidade. 

  • O CMS, que desde 2012 fez levantamento de preço  de veículo  para aquisição e constar no orçamento municipal,  até hoje, amarga as dificuldades na hora de participar de um evento. Neste dia, dois conselheiros da Comissão de Finanças, deveriam participar de um evento oferecido pela UFPE, na Av. Agamenon Magalhães, e por conta da falta de gasolina e atraso do transporte, não puderam participar para inclusive esclarecerem que os Programa PET e PRÓ-Saúde, nunca apresentaram relatório no conselho (que deveria ser a cada 06 meses) e não se tem notícia se funciona. Os conselheiros acreditam em boicote, porém,a gestão nega.
Enquanto isso...há licitação de 04 veículos para a Diretoria de Administração Tributária http://www.impunidadetransparente.com/2014/11/camaragibe-aquisicao-de-04-veiculos.html


  • Há o descumprimento da agenda prometida que deveria existir para periodicamente o prefeito se reunir com o conselho e ouvir as demandas reprimidas. O secretário de saúde se reúne mensalmente com o conselho de saúde porém, muita coisa não depende apenas dele.
  • O CMS priorizou no orçamento a construção da garagem para abrigar o veículo que deveria ser adquirido em nome do   conselho para atender  suas atividades tendo em vista a proximidade da Conferência Municipal de saúde em 2015.
  • O Conselho tem uma tal de Rubrica Orçamentária onde,  na leitura de prestação de contas da gestão se diz que o CMS não utilizou toda a previsão e tem bastante sobra. Como, se não se compra o que é deliberado? Dessa forma vai sempre sobrar previsão e espaço no  orçamento.
  •  O conselho deliberou  a aquisição dos seguintes equipamentos para o projeto de integração Conselho/Comunidade: Notebook, datashow e o telefone fax além do CNPJ  já  acordado com o prefeito em reunião e constando no Plano Anual e não se viabiliza. 
A gestão esquece que um  dos requisitos para que acontecesse a Gestão Plena de Saúde exigida pelo MS, foi a comprovação do pleno funcionamento do conselho e no entanto as dificuldades se perpetuam embalsamadas!

Laudicéa

Pesquisar este blog