Google+ Followers

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

China: Prisão perpétua para um professor universitário por expressar suas opiniões durante cursos


A justiça chinesa confirmou na sexta-feira (21) em apelação a pena de prisão perpétua para o intelectual uigur Ilham Tohti, fato criticado pela União Europeia e pelos Estados Unidos.
Economista respeitado e considerado uma voz moderada, este professor universitário, foi declarado novamente culpado por um tribunal de sua região de origem, Xinjiang, indicou seu advogado, Liu Xiaoyuan. 
Tohti denunciou durante muito tempo desde Pequim a repressão contra os uigures, muçulmanos de língua turca que representam a primeira etnia em Xinjiang, sem exigir, no entanto, a independência para esta região e afirmando simplesmente ter expressado suas opiniões durante os cursos que ministrava na Universidade Central das nacionalidades em Pequim.
Segundo declarações de seu advogado à AFP, durante seu comparecimento em apelação Tohti declarou "que sua conduta não ameaçou a segurança do Estado" chinês, assim como suas convicções contra a violência e o separatismo.

Pesquisar este blog