Google+ Followers

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

CAMARAGIBE: MATERNIDADE AMIGA DA FAMÍLIA VAI FECHAR!

A Maternidade Amiga da Família de Camaragibe  (MAFCg), situada à  Av. Belmino Correia nº 100, no centro da cidade, inaugurada em 2002, com investimento de R$800 mil só na construção, tendo em média 100 funcionários, além de serviços prestados, foi   surpreendida nesta terça feira (30), com a notícia de seu fechamento para reforma por um período de 03 meses. Segundo informações, a Unidade foi visitada pela Vigilância Sanitária do Município e por fiscais do M.S e ambos notificaram vários problemas estruturais com necessidade de reparos, dentre eles, climatização insuficiente e instalação elétrica precária, chegando a cair pedaços de fio no momento de procedimentos cirúrgicos.

Notícia::http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff1901200105.htm

Segundo informações dadas pela  diretora da Maternidade:
  •  Os serviços prestados, em torno de 21, a partir de amanhã já não estarão no quadro como medida de contenção de despesas.
  • A parte térreo vai funcionar normalmente como os serviços de: Teste do pezinho, Ultrassom e Pré-natal de alto risco.
  • Quanto aos funcionários efetivos, gradativamente serão lotados nos serviços de emergência: Cemec Centro, Cemec Tabatinga e Cemec Vera Cruz, porém, geridos pelo lugar de origem, até que a reforma seja concluída

    Muitos se perguntam como será que está e onde trabalhará o  Dr. João Lemos - antigo prefeito da cidade e funcionário público (obstetra) -, que ao deixar o mandato ficou  constando no CNES como se desse plantão na Maternidade e recebe por isso uma gratificação de plantão no valor de quase 4 mil reais, sem, porém, dar as caras para trabalhar.

   O que chama a atenção é a falta de comunicação da gestão, que costuma tomar medidas que dizem respeito aos munícipes   sem comunicar ao  Conselho de Saúde da cidade. Como a criação da Parceria Público-Privada (PPP) - Lei Municipal nº 551/2013, que não foi discutida nem comunicada ao CMS e, por isso, os conselheiros se recusaram a fazer parte do Conselho Gestor para acompanhar o programa.
   Os funcionários temem é que esses 03 meses se transformem em 03 anos ou que  aconteça como em muitos municípios que  sucateiam  os serviços públicos para, em seguida, PRIVATIZAR. É lavar as mãos feito Pilatos. 
Há muito tempo a Maternidade parecia mais o SAMU, só servia para transferir pacientes e, agora, parou de vez!


   A lei 8080/90, regulamentada pelo DECRETO nº 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011, prevê no Art. 4º § 2º: "A iniciativa privada poderá participar do Sistema Único de Saúde (SUS), em caráter COMPLEMENTAR" e o que se vê é o serviço privado gerindo e o público apenas complementando.

Pelo "andar da carruagem" acho que o ilustre escritor George Orwell, se vivo estivesse, diria: A saúde agora, é dever do povo e direito do Estado.

E como diz o professor André Ricardo Batista: "tenham fé!"

Laudicéa

Pesquisar este blog