Google+ Followers

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

CAMARAGIBE:A MAIS NOVA "NOVELA" JUNTA MÉDICA

Eis o cuidado e a "Saúde do Trabalhador" que Camaragibe oferece!

Uma servidora do Cemec Centro (Emergência em Camaragibe), apresentando problemas de saúde, traumático/ortopédico, tendo sido atendida pelo médico assistente e recebido um laudo de afastamento definitivo, no mesmo dia, 03/11/14, se encaminhou a prefeitura para protocolar o documento e esperar  o retorno da documentação ao Cemec (local da junta médica).
Como a documentação estava demorando, a servidora procurou a junta, porém não foi atendida pela falta do médico.
No dia 12/11/14, a prefeitura enviou a documentação protocolada e a servidora foi atendida, porém, o médico da junta lhe deu 15 dias de afastamento à partir desse dia. Ao ser questionado pela licença a partir da data da ida ao médico, dia (03/11) o médico respondeu que apenas  a estava vendo naquele momento e que  só lhe daria a dispensa de 15 dias à partir do dia 12 e ainda orientou a servidora a procurar um outro ortopedista para pedir outro laudo senão não seria homologado seu afastamento.
A funcionária procurou dois ortopedistas e obteve a mesma resposta dos dois profissionais. "Esse procedimento é ilegal, esse laudo tem fé de oficio".
A servidora que fará cirurgia de clavícula, manguito e tendões do lado E, e posteriormente fará cirurgia da mão, encontra-se apreensiva.
Segundo a mesma, a administração do serviço diz que  o RH nada sabe e agora, solicita da servidora algo que lhe acoberte o ponto senão a mesma levará falta.
Que absurdo é esse? O profissional da saúde, quando adoece fica feito bate e volta sendo ainda sacrificado?
Laudo médico só pode ser questionado em  juízo, se desacreditam do profissional que o descredenciem.

Laudicéa


Pesquisar este blog