Google+ Followers

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Argentina: Especialistas não encontram pólvora nas mãos de promotor morto

Não havia sinais de pólvora nas mãos do promotor Alberto Nisman, encontrado morto no domingo com um tiro na têmpora, na véspera de explicar perante o Congresso uma denúncia de acobertamento contra a presidente Cristina Kirchner, em um caso que chochou a Argentina.

Após a morte de Alberto Nisman, que acusou na última quarta-feira a presidente argentina de acobertar o Irã no caso do atentado contra a Associação Mutual Israelita Argentina (AMIA) em 1994, Cristina Kirchner, juízes e cidadãos exigem uma investigação a fundo sobre a morte, até agora considerada suicídio.

O chefe de Gabinete, Jorge Capitanich, pediu nesta terça-feira em uma coletiva de imprensa que a morte do promotor seja investigada "até as últimas consequências" e garantiu todo o apoio institucional para seu esclarecimento.

A promotora determinou que a juíza encarregada do caso, Fabiana Palmaghini, realize uma nova perícia com a arma encontrada junto ao corpo de Nisman.

Fonte:http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/afp/2015/01/20/especialistas-nao-encontram-polvora-nas-maos-de-promotor-morto-na-argentina.htm

Pesquisar este blog