Google+ Followers

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

PE: Policiais e agentes penitenciários criticam condições de trabalho


As más condições de trabalho e o déficit de policiais   foram apontados pelos representantes dos oficiais como as causas da onda de tumultos e rebeliões que tomaram conta dos presídios do Grande Recife nesta semana. De acordo com o Sindicato dos Agentes Penitenciários, esses problemas poderiam ser contidos com mais eficácia se o efetivo estivesse completo. Já a Associação de Cabos e Soldados de Pernambuco pede melhores condições de trabalho.
 
João Carvalho disse que não é possível conter atos ilícitos com efetivo atual (Foto: Marina Barbosa / G1)
João Carvalho não é possível conter atos ilícitos
com efetivo atual (Foto: Marina Barbosa / G1)
O presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários confessou que é difícil trabalhar na situação atual. "Hoje nós temos apenas cerca de quatro ou cinco oficiais por plantão e com esse efetivo não dá para conter atos ilícitos como a entrada de armas e drogas por cima do muro”, desabafou João Carvalho.
Segundo ele, com esse número de policiais, cerca de 60% das guaritas ficam desativadas. Hoje o déficit é de 4,7 mil agentes. O presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários ainda pediu a nomeação dos oficiais aprovados em concurso. “O estado diz que nomeou 132, mas até o momento esse pessoal não foi convocado. Outros 150 concluíram todas as etapas e estão esperando serem chamados para o curso de formação”, afirma.
 
Para Carlos Alberisson, este é o momento de expor problemas e pedir melhorias (Foto: Marina Barbosa / G1)
Para Carlos Alberisson, este é o momento de expor
problemas (Foto: Marina Barbosa / G1)

O presidente da Associação de Cabos e Soldados  disse que vai aproveitar esse momento para pedir melhores condições de trabalho para os policiais, tanto para os agentes penitenciários quanto para os oficiais do Batalhão de Choque que dão apoio às rebeliões. As dependências internas dos presídios não são favoráveis e muitos de nós precisamos comprar os próprios equipamentos de proteção para trabalhar. 

Pesquisar este blog