Google+ Followers

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Testando seus talentos em reanimação, enfermeiro alemão admite ter matado 30 pacientes com doenças graves

Um enfermeiro julgado há meses em um tribunal alemão admitiu ter matado cerca de 30 pacientes gravemente doentes internados em unidades de cuidados intensivos, informou a agência DPA.

O enfermeiro, que já havia sido condenado a sete anos e meio de prisão em 2008, comparece ante o tribunal de Oldenburgo pelo assassinato de três pacientes e tentativa de matar outros dois, usando doses elevadas de medicamentos.

Os investigadores suspeitam que o acusado, de 38 anos, aplicou estas injeções entre 2003 e 2005 para demonstrar seus talentos de reanimação, já que colocava seus pacientes à beira da morte antes de tentar reanimá-los.

Segundo o psiquiatra do caso, o réu também admitiu ter administrado doses excessivas de medicamentos em outros 60 pacientes, mas estes sobreviveram. Em 2005, foi surpreendido por uma colega quando estava injetando um medicamento para coração em um paciente.
Embora H. está enfrentando acusações de três homicídios e duas tentativas de homicídio, o procurador da República disse que poderia estar envolvido em mais de 150 mortes.
Em cooperação com a polícia, o Ministério Público estadual está investigando as mortes de 174 pacientes que morreram durante os turnos da H. 2003-2005 em uma clínica em Delmenhorst, perto de Bremen.
De acordo com a revista Der Spiegel, o inquérito só vai abranger os casos em que o falecido não foi cremado e morte do paciente não pode ser explicado por uma condição preexistente.
Nesses casos, os corpos dos pacientes será exumado e autopsiado.
Niels H., trabalhou na clínica de Delmenhorst, perto de Oldenburgo. O inquérito está prevista para durar até 2015.

Pesquisar este blog