Google+ Followers

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

CAMARAGIBE: HAJA "BOLO" NO CMS!

Na primeira reunião ordinária de fevereiro do Conselho Municipal de Saúde de Camaragibe, onde se esperava o Secretário de Administração e o Secretário de Saúde para esclarecerem sobre as 40 ACS desviadas de função, inclusive, algumas em gabinetes e sobre o vale refeição dos trabalhadores deliberado em Conferência, constando em Relatório de Gestão, LDO entre outras, e que nunca saiu do papel, simplesmente foi dado um belo duplo "bolo", pois, nem compareceu o secretário de Administração, nem o Secretário de Saúde.
 O convite aos  secretários para esclarecimentos, foi feito através de ofício e confirmado pessoalmente.
Trabalhadores e representantes de associações estiveram presente para fazerem seus questionamentos e ficaram desiludidos pela ausência de respostas.


 
A reunião contou com a  presença do vereador Paulo André, dos Agentes de Endemia e Agentes Comunitários de Saúde, entre outros.


O vereador Paulo André se dispôs em ajudar a comunidade  com relação a busca de esclarecimentos sobre o fechamento da Maternidade e falou da dificuldade encontrada pelo legislativo para agilizar  as demandas junto ao Ministério Público de Camaragibe.

Na ocasião, foi exposto as muitas dificuldades, tanto da população quanto do Controle Social, citando como exemplo o não atendimento da SECAD  a convocação do CMS para responder aos anseios da comunidade e  dos trabalhadores.


Nos Informes e Denúncias:
  • Falta de médicos nas USFs
  • Falta de atendimento odontológico em algumas USF que foram interditadas pelo CRO há um ano e ainda não estão em funcionamento
  • Falta de material para realização de exames de urina (Urocultura), no Laboratório Municipal
  • Falta de ACS no Vale das Pedreiras que estão afastadas por motivo de doença e a área descoberta
  • Falta de atendimento em obstetrícia na Maternidade e  no Hospital Geral
  • Falta de lençóis, sendo os pacientes transferidos em colchões lisos
  • Falta de pagamento aos prestadores 
  • Cota zero de RX para os postos de Saúde
  • Cota de ultrassom de apenas 07 para cada posto
  • A solicitação por escrito da SESAU de quando e quantos postos de Saúde receberam o Kit Dengue informado no Diário Oficial dos Municípios com contrato assinado desde dezembro no valor de R$75 mil e na ocasião, foi perguntado aos ACS e ACE presentes e os mesmos afirmaram desconhecer esse tal Kit Dengue.  Significa dizer que nenhuma Unidade de Saúde receberam esse tal Kit.
Na ocasião foi questionado ao vereador se era do seu conhecimento o aluguel do estacionamento do prédio do Hospital Geral que foi desapropriado em 2012. Apenas por um pequeno terreno entre as duas clinicas que serve de estacionamento se paga uma fortuna todo mês e o porquê não se desapropriou o terreno também.

O Conselho Municipal de Saúde se reserva o dever de encaminhar  as demandas aos órgãos competentes, tendo em vista a gestão não se dá ao trabalho de responder aos ofícios.


Laudicéa

Pesquisar este blog