Google+ Followers

quinta-feira, 25 de junho de 2015

UFRN: Cresce número de doadores de corpos humanos para estudos


O Programa de Doação de Corpos do Departamento de Morfologia, da área de Anatomia do Centro de Biociências (CB) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, teve um crescimento nos últimos meses, de mais de 90% comparado aos últimos quatro anos da campanha.

A campanha procura conscientizar a população de que há outro destino dos corpos além do sepultamento e a cremação.

Significa que após o falecimento, o corpo não será enterrado nem cremado, mas ficará no laboratório de Anatomia, onde será estudado pelos alunos de graduação e pós-graduação, com isso melhorando a qualidade do ensino e dos futuros profissionais.

De acordo com o Artigo 14 da Lei 010.406-2002 do Código Civil brasileiro, “é válida, com objetivo científico, ou altruístico, a disposição gratuita do próprio corpo, no todo ou em parte para depois da morte. O ato de disposição pode ser livremente revogado a qualquer tempo”. Existe, também, a Lei Nº 8501 publicada no dia 30 de dezembro de 1992, que dispõe sobre a utilização de cadáver não reclamado, para fins de estudos ou pesquisas científicas e dá outras providências. 

Não existem gastos para o doador nem para seus familiares, apenas se a família decidir fazer o velório, antes da doação (o que não impede que após as homenagens o corpo seja doado), os custos desse deverão ser pagos para a agência funerária contratada pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Os órgãos e estruturas não doadas para transplante serão encaminhados para a Disciplina de Anatomia Humana do Departamento de Morfologia, depois de ser realizado o velório, e será utilizada para o conhecimento e a aprendizagem dos futuros profissionais.

Existem corpos há mais de 50 anos que contribuem para o ensino. O material humano é raro e rico em detalhes que permitem o enriquecimento do conhecimento.

Após ser completamente estudado e ter contribuído de forma magnífica ao desenvolvimento profissional dos alunos, o corpo ou parte dele será sepultado no jazigo da Universidade.

O acesso ao corpo é permitido apenas aos alunos, professores e técnicos do laboratório do Departamento de Anatomia.

Além de preencher os documentos e enviá-los ao Departamento, é importante que discuta e informe seus familiares sobre esta decisão, para que quando constatado o óbito, um dos familiares comunique à Universidade. Caso os familiares não estejam de acordo com a decisão ou não informar à UFRN, o desejo não será concretizado.



Pesquisar este blog