Google+ Followers

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

CAMARAGIBE: SISEMCg REALIZA ASSEMBLEIA GERAL



Nesta terça-feira (18) foi realizada a assembleia geral do Sindicato dos Servidores Municipais de Camaragibe (SISEMCg), no auditório de sua sede, e contou com a presença de Eduardo Belmiro, presidente do SIDGUARDAS, e de Geosilda Nunes, presidente da AMACS.





















A coordenadora geral do SISEMCg, Magna  Bias, iniciou informando que todos os servidores que têm convênio com desconto em folha devem atualizar seus dados no sindicato. Disse também que, infelizmente, os servidores de Camaragibe não têm o que festejar: O adiantamento do décimo terceiro não foi feito e não há prazo definido para o seu pagamento.


Quanto ao direito de passagem para os que moram em outros municípios, há mais de 02 anos que se fala na criação de uma lei para regulamentar esse direito. Até agora, nada. 

Quanto ao valor do acumulativo, foi reduzido. O sindicato continua lutando contra essa medida, visto que o salário de quem acumula é garantido por três leis (081/95- 455/2010-508/2012).

Quanto aos notebooks, encontram-se há três anos na licitação. Apesar de o sindicato haver questionado sobre a configuração, já foi informado que vai prevalecer a vontade da gestão, porém ainda não saíram.

Houve queixas sobre a merenda, que está de péssima qualidade, e sobre a falta do material pedagógico. Sem contar que, em algumas escolas, foram colocadas estagiárias nas salas de aula para compensar a ausência dos professores por conta da assembleia.

Quanto ao PCRM (Plano de Cargos e Remuneração do Magistério), aprovada pela câmara em 2012 e sancionada pelo antigo prefeito no mesmo ano, este foi contestado desde o início da  gestão, que entrou com o pedido de inconstitucionalidade da lei (ADIN) e, enquanto tramita, a lei anterior deveria estar sendo cumprida, porém em Camaragibe existe um problema crônico agudizado, que é a anomia-desrespeito às normas legais, ou seja, só se considera o que é conveniente aos gestores e políticos.

Pelo visto, para que essa "malh- ação" tenha fim, só chamando o All-adim.


O diretor Lázaro Ramos repassou os informes da saúde. A carga horária dos motoqueiros é de 12x36, mesmo existindo uma Lei municipal que estabelece 30 horas semanais para todos. O sindicato entende que está havendo um tratamento desigual entre os servidores. A PROGEM ficou de responder na próxima semana.


Eduardo Belmiro informou sobre a audiência pública que haverá no dia 25 deste mês na ALEPE, para tratar da inclusão da guarda na Constituição Estadual, e solicita que a categoria compareça.


No final, mesmo sem conquistas aparentes, a diretoria do sindicato propôs a suspensão do estado de greve para tentar negociar as propostas da categoria, e, se nada for resolvido, nada impede que voltemos a nos reunir e deliberar novos encaminhamentos com mais ênfase. A proposta foi votada por todos. Não houve voto contrário nem abstenções. 



Laudicéa

Pesquisar este blog