Google+ Followers

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

RECIFE: EM ASSEMBLEIA, ENFERMEIROS DECIDEM NÃO PARTICIPAR DO PMAQ




O Sindicato dos Enfermeiros no Estado de Pernambuco – SEEPE  -realizou na manhã dessa terça-feira, 20/10, assembleia geral com os enfermeiros vinculados à Prefeitura do Recife. O encontro aconteceu no auditório do Sindicato dos Servidores Federais de Pernambuco – Sindsep, no bairro da Boa Vista.

Participaram da assembleia a presidente do SEEPE, Berenice Garcês; a secretária-geral, Maria do Carmo Raposo; o diretor de organização e relações sindicais, Wagner Cordeiro; os diretores do conselho fiscal, José Afrânio e Djanos Oliveira; o assessor jurídico, Sérgio Pessoa; e o assessor de assuntos institucionais, Luciano Lima.

Na oportunidade, o SEEPE aproveitou para apresentar aos enfermeiros do Recife as últimas ações realizadas pelo sindicato, como as mobilizações pelos enfermeiros do plantão extra, a greve dos enfermeiros de Camaragibe, dentre outras. O SEEPE trouxe a coordenadora pedagógica do Centro de Formação, Rosa Aragão, para explanar a iniciativa do SEEPE de promover cursos livres para a categoria.

O SEEPE também falou sobre as ações jurídicas do sindicato que estão em andamento e sobre as futuras ações em defesa dos enfermeiros do estado.

Os itens de pauta foram: PMAQ, Testagem Rápida e PCCVD. Em relação ao PMAQ, o SEEPE repassou as informações obtidas na última reunião com a Secretaria Executiva de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde - SEGTES, ocorrida na noite de ontem (19/10). Foi informado que a primeira parcela será paga em novembro deste ano.

No entanto, os enfermeiros decidiram, através de votação na assembleia, não participar do PMAQ até que a gestão da PCR reveja a regulamentação da lei, pois não há critérios definidos de como o pagamento será feito a todos os profissionais.

Em relação à Testagem Rápida, os enfermeiros decidiram elaborar um documento para formalizar que não será feita a Testagem Rápida pelo enfermeiro até que a categoria passe por um treinamento específico, e chegaram ao consenso de que nenhum enfermeiro fará a testagem rápida sem a equipe.

Sobre o PCCVD, a gestão da PCR já elaborou um decreto no qual define que a porcentagem de avaliação ficará 70% com a gestão, e 30% de autoavaliação do profissional. A categoria pretende fazer um documento repudiando a decisão.

“Foi uma assembleia produtiva onde os enfermeiros do Recife puderam decidir democraticamente os encaminhamentos que o sindicato deve tomar em relação aos nossos pleitos. Vamos juntos reivindicar os direitos da nossa categoria. A luta faz a lei”, ressaltou a presidente do SEEPE, Berenice Garcês.



Fonte: SEEPE

Pesquisar este blog