Google+ Followers

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

CAMARAGIBE: ATIVIDADE SEMANAL DOS SERVIDORES DA SAÚDE EM GREVE



Na segunda-feira (09), às 09:30 horas, Sindicato e base estiveram no Centro de Reabilitação para uma reunião de esclarecimento sobre o movimento paredista com os diretores e servidores.





Às 10:30 horas, o grupo se dirige à prefeitura falar com o Secretário de Governo, André Guerra, para cobfirmar uma reunião com o prefeito.


Em seguida, o grupo se dirige à Secretaria de Educação em busca de reunião.

Às 12 horas, o grupo se dirige ao MPPE, porém não receberam atendimento.


Às 14 horas, o grupo se divide. Parte se dirige ao CMS, e parte ao Cemec Centro. A missão foi recolocar as faixas e cartazes retiradas pelo novo gerente. 




Na terça-feira (10), servidores e Sindicatos compareceram à câmara de vereadores para acompanhar a sessão e se manter informados para evitar surpresas.





Um  grupo formado pelo SEEPE e SISEMCg retorna ao Cemec Centro para uma reunião com o novo gerente.



Na quarta-feira (11), às 10 horas, uma comissão formada pelo Sindicato dos Servidores Municipais, base e representante de mães, estiveram em reunião com Adriana Dantas, Secretária de Educação.



 
Às 16 horas, a Comissão de greve promove  ação de Saúde no Parque da cidade com aferição de pressão arterial e HGT. 



   
 Na ocasião são colhidas assinaturas para o abaixo-assinado solicitando auditoria nas contas da prefeitura. 

 

A intenção é de convencimento da não-necessidade de cortes nas vantagens dos servidores, tendo em vista não ter havido cortes consideráveis nos repasses do governo Federal que justifiquem o tamanho da crise instalada no município.



Na quinta-feira (12), às 15 horas, foi realizada assembleia extraordinária para informes e avaliação da greve, além de criar o calendário de atividades da semana.



A greve será mantida até que o governo se pronuncie.





Na sexta-feira (13), Às 09 horas, um grupo formado por representantes da categoria da Saúde, juntamente com a Comissão de greve procuram o COREN (Conselho Regional de Enfermagem) em busca de apoio, usando como base o Código de Ética, o qual proíbe a substituição dos profissionais durante a greve.



Laudicéa

Pesquisar este blog