Google+ Followers

sábado, 20 de fevereiro de 2016

CAMARAGIBE: 1ª ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DO SISEMCg



Na manhã desta sexta-feira (19) foi realizada a 1ª Assembleia Geral Extraordinária do Sindicato dos Servidores Municipais de Camaragibe, no auditório de sua sede, iniciado por uma oração para fortalecimento de todos diante da situação jamais vivenciada no município.



 PAUTA:
      •    Informes
      •    Campanha Salarial 2016
      •     Reajuste do Piso ACS e ACE
      •      Reajuste do Piso Magistério
      •      Reajuste Anual dos Servidores



Foi informado a todos da “romaria” feita pelo Sindicato desde o início do ano, na tentativa de agendamento de reunião com o Sr. prefeito e sua assessoria para tratar dos pontos da pauta. Reunião esta, prometida pelo próprio prefeito Jorge Alexandre, quando, pela última vez, atendeu o Sindicato em novembro de 2015.

GERAL:

A Campanha Salarial 2016, com o Tema: "Acorda povo, senão a prefeitura retira seu direito de novo!”, tem como prerrogativa episódios anteriores.
       •     Em 2013, não houve reajuste salarial
       •     Em 2014, teve o mesmo índice do salário mínimo dividido
       •     Em 2015, o reajuste, que deveria ter sido implantado em março, só foi oferecido em junho, sendo 1.37% menor que reajuste do mínimo, além disso dividido em 04x e pago  o retroativo em 03x
       •     Falta material para desenvolver as atividades gerais
       •    Falta valorização.
       •    Falta climatização e demais apetrechos necessários, podendo-se resumir em FALTA TOTAL DE CONDIÇÕES DE TRABALHO.

EDUCAÇÃO:

     •     Em 2015 o Piso foi menor do que o determinado pelo Nacional

  • Em 2016, com o Piso estabelecido em janeiro, a Secretaria de Educação admite não saber nem o índice do reajuste nacional e ainda diz não ter resposta aos questionamentos feitos.
     •     Não se tem prestação de contas dos 25% da Educação.
    •     Os notebooks – Primeiro não entregaram por falha da configuração. Depois, por necessitar de nova licitação. E depois... até agora nada!
     •      Falta melhoria nas Escolas, material de penso, de escritório... de tudo!   
Resume-se em ausência de condições gerais de trabalho.

     • O Conselho Municipal de Educação, este ninguém sabe como funciona. Vive fechado e até os ofício enviados são entregues na sala 33 da prefeitura. Há um calendário de reunião, sem horário e com o timbre da prefeitura. Não cortaram o “cordão umbilical”.

Para a Segurança:  Alguns encaminhamentos estão sendo feitos, como a reformulação do Estatuto da Guarda, porém falta:

     •  Fardamento. Tem alguns ficando CINZA
     •   Alguns Gms foram flagrados trabalhando com o coturno  se desmanchando.
     •   Falta combustível para as viaturas
     •    Motos e carros em mal estado
     •    E as câmeras de  monitoramento, que serviria de apoio não só para a população, mais também para os profissionais, praticamente não existem.

Também foi  relembrado as perdas acumuladas nos últimos 03 anos:

PERDAS - EDUCAÇÃO:
      •    Retirada da Gratificação das Merendeiras - percebida há mais de 20 anos
      •    Retirada das passagens intermunicipais – percebida há mais de 20 anos
     •      Retirada da gratificação dos diretores
     •      Os descontos nas férias
     •       Retirada do acumulativo, com o difícil acesso de “molho”.




PERDAS - SAÚDE:
      •     Retirada da Gratificação de Plantão que não deveria ser  percebida pela Carga Horária, e sim pelo Regime Especial de Plantão - sábado, domingo, feriado e dias santos, de forma estendida.

     •     Retirada da Gratificação SUS - percebida há mais de 20 anos
  • Para os ACS e ACE foi dado o PMAQ em troca da Gratificação SUS, quando os mesmos deveriam ter acesso as duas Gratificações
  • Diminuição do Adicional noturno, que deveria ser pago pelo trabalho   laboral mensal, assim com as férias e não por quantidade de plantões
  • Diminuição da alimentação dos pessoal de regime de plantão e restrição do acesso à copa, sendo determinado um horário de revesamento das 19h às 20h, só tendo nova refeição após 12h, prejudicando inclusive o atendimento pela necessidade da ausência apressada dos servidores para cumprirem o horário.
    •     Fechamento do estacionamento do prédio do “Hospital Municipal” para servir de ambulatório móvel de atendimento à mulher por 03 meses, prejudicando os trabalhadores e aumentando o nível de stress.

      Até a passagem do Anel G, que na Região Metropolitana foi determinada em R$1,85 em Camaragibe se paga R$ 2,00
    Segundo informações dos profissionais de Saúde, o CEO de Camaragibe, virou “inferno”. Serve apenas de escritório para a Atenção Básica.
      Foi informado também pelos profissionais, que as Ações contra a dengue não estão sendo feitas na cidade.

Segundo informações, a gestão não está preocupada com a indignação  e o asco dos Servidores, tendo em vista que, para ele, servidores não elegem ninguém e eleição se reverte até na última hora, deixando subtendido que o dinheiro fala mais alto e resolve tudo.

Após os informes do Sindicato e o relato da base, foi deliberado um Plano de Luta:

      1.    Dia 1º de março - Terça-feira, 09h - Câmara de vereadores
      2.    Dia 03 de março - Quinta-feira, 09h - Panfletagem na Elisa Cabral e ato público na prefeitura
     3.      Dia 04 de março - Sexta-feira,  15h - Ação de Saúde no Parque da cidade
     4.      Ainda em março, assembleia para deliberar novos encaminhamentos.

                      A assembleia terminou às 10h 45min.



Por deliberação do plenária, uma Comissão se encaminhou à prefeitura com carro de som, em busca de   respostas.



O grupo  foi recebido pelo Secretário de Governo André Guerra e o Secretário de Administração Braga Neto. Foi marcado uma reunião para o dia 03 de março, às 11 horas com toda a assessoria do prefeito.


















Laudicéa

Pesquisar este blog