Google+ Followers

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Policiais e bombeiros militares decidem se entram em greve em PE




Foto: Priscila Miranda/NE10 
A greve da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE) e dos Bombeiros Militares será decidido nesta quarta-feira (27) após reunião da categoria com representantes do Governo do Estado. 

A categoria esteve concentrada em frente à Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), na Rua da Aurora, bairro de Santo Amaro, no Recife. No local, os manifestantes discutiram a possibilidade de greve, a depender do resultado da rodada de negociação.

O presidente da Associação de Cabos e Soldados de Pernambuco, Alberison Carlos, disse, pouco antes da reunião começar, que a categoria quer 15% de reajuste salarial e 18,53% de reposição inflacionária referente ao período de 2014 e 2015. "O movimento está dentro da legalidade. Independente da contraproposta do governo, quem vai decidir somos nós", ressaltou Alberison. O pleito, no entanto, não será atendido pelo Estado que argumenta a crise financeira nos cofres públicos.
Diante do forte indicativo de paralisação da categoria, Governo do Estado já estuda medidas judiciais para barrar a greve. Adotando a mesma estratégia em relação à Polícia Civil, em fevereiro deste ano, será solicitada à Justiça que a greve da PM seja considerada ilegal e que os militares sejam obrigados a voltar às ruas, sob pena de multa diária.

Para barrar a insatisfação dos militares, o Governo do Estado deve oferecer alguns benefícios à categoria. Outra estratégia adotada em caso de greve é ter o apoio da Força Nacional. Em nota, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE), demonstrou preocupação frente à possível greve da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar. 


Pesquisar este blog