Google+ Followers

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

NOVA DENÚNCIA DE BARGANHA PARA MARCAÇÃO DE EXAMES DO SUS EM REUNIÃO DO CMS

Nesta segunda-feira (08) foi realizada a 1ª reunião ordinária do mês de agosto e, como sempre, houve informes e denúncia, sendo esta a mais apreciada. O Secretário Adjunto de Saúde, Pedro Santana, comunica que no LAMUC está sendo realizado exame Eletroforese de Hemoglobina para medir  Hb e identificar  traço da anemia falciforme.

Após a leitura da ata da reunião anterior, foi entregue a Pasta com Lei e Resolução do M.S, além da Lei de criação do conselho de Saúde e seu Regimento interno para os novos conselheiros.

Foi dada a oportunidade para o Diretor do Conselho de Cultura, Sr. Josué José de Oliveira da Silva, se apresentar e esclarecer sobre sua solicitação de documentação do CMS. O mesmo convidou o Conselho de Saúde para sua Prestação de Contas que se dará no dia 09/08 às 19 horas, no Ato da Boa Vista, na Sede do Conselho.



Nos informes:
  • A Secretaria de Saúde informa que estará realizando um novo recadastramento do Pessoal da Saúde  no dia 15/08 a 20/09. O processo está em discussão e será realizado pela própria secretaria com auxílio de funcionários. A equipe está analisando a possibilidade de se fazer o processo on-line para facilitar a vida do Servidor;
  • Foi informado do Fórum de Saúde do trabalhador realizado pelo CEREST. Foi trazido também a possibilidade de se instalar a Comissão de Saúde do Trabalhador e Saúde Mental com 08 representantes. A novidade foi da participação de entidades representativas dos trabalhadores, sem necessariamente serem conselheiros;
  • Foi solicitada informação sobre o PMAQ - se este é suspenso em caso de férias e ou licença;
  • solicitada informação sobre se há estimativa de quando será ressarcido o valor da Gratificação SUS do mês de setembro retirada dos trabalhadores da Saúde, antes de a Lei que a suprimiu entrar em vigor. Já foi feito requerimento, mesmo assim, a Gestão "legal", ainda não se pronunciou;
  • Foi informado que mesmo tendo assinado um TAC no MPPE, a SESAU não convocou os concursados e continua admitindo Serviços Prestados no Cemec Centro;
  • Foi solicitado que seja feito convite à Secretaria de Obras para esclarecimento sobre as reformas não realizadas ou não concluídas das USFs e Escolas. Inclusive foi questionado sobre a Creche Timbi que foi inaugurada no final da Gestão passada, antes do seu término, e, nessa Gestão, foi feita nova licitação para terminar a obra que durou três anos. A Creche foi inaugurada novamente e ainda não está funcionando;
  • Foi informado que a casa cedida pelo Estado para que funcionasse a USF de Jardim Primavera e que havia sido alvo de denúncia no Conselho devido à sua ocupação por pessoas ligadas à Gestão, foi enfim, desocupada, porém a mesma pessoa agora está a construir num parte do terreno da Escola Estadual Samuel Mac Dowell, que alguns dizem ser terreno da COMPESA;
  • Foi informado que os munícipes aguardam 01 ano para conseguir uma prótese e mesmo assim, quando recebem não podem utilizar. A prótese é tão grosseira que é inadmissível ter sido projetada por um profissional. Pede-se providência;
  • Foi questionado o horário de funcionamento da Casa da Mulher, pois está fechando as portas às 13 horas;
  • Foi questionada a falta de divulgação para apresentação da LDO, pois só teve 06 pessoas no auditório e nem os Secretários compareceram;
  • Questiona-se sobre se existe ouvidoria no município para registrar queixa da falta de iluminação e Limpeza Urbana;
Denúncias:
  • O médico da USF de Cosme Damião só comparece 02 vezes por semana, embora a prefeitura informe ao M.S que a Carga horária desses profissionais seja de 40 horas/semanais. Em todas as Unidades o processo é o mesmo;
  • A prefeitura de Camaragibe não está fazendo a inscrição do PASEP dos Servidores. Apenas após os mesmo fazerem requerimento é que a inscrição é providenciada, porém a data não confere a da admissão do trabalhador e sim, do requerimento, deixando o trabalhador em prejuízo;
  • Não está havendo inscrição para aquisição de Leite e fralda, porém foi denunciado que um vereador foi visto pegando fraldas e segundo o mesmo, seria pra sua parente;
  • Foi denunciado que alguns vereadores continuam marcando exames para seus eleitorados em troca de voto. Enquanto quem não compartilhar com as condições fica a esperar até mais de um ano para marcar exames. Esse fato já foi denunciado à nova Secretária de Saúde, que admitiu a existência da prática, mas se comprometeu em sanar o problema, que continua;
  • Continua faltando medicação controlada, remédio de pressão  e até dipirona nas Unidades e no almoxarifado;
  • A ACS que oficializou queixa no CMS da falta do enquadramento no PCCV desde 2014, continua aguardando a atualização de seus vencimentos;
  • Foi feito queixa da falta de passagens para o deslocamento das ACS no caso de capacitação. Este ponto já foi discutido incansavelmente em reunião, proposto em Conferência e deliberado no Conselho de saúde, porém não há cumprimento;
  • Queixa na burocracia para marcação de exames de sangue. Segundo consta, não há auxiliar administrativo nas Unidades e as ACS deixam de fazer seu serviço de visitação para permanecer na unidade no serviço burocrático, além da diminuição da cota que agora é de 80 vagas por mês para 10 mil pessoas;
  • Foi feita queixa da falta de divulgação da Prefeitura para realização de exames. No caso, o caminhão que faz o - amigo do peito - nos bairros. A presença do carro no bairro do Céu Azul foi informada pelo Whatsapp e à noite para as ACS saírem de porta em porta informando as comunitárias onde pouco mais da metade fizeram o exame para ninguém ver, pois também não se tem Angiologista nem Ginecologista. Aí os exames ficam guardados;
  • Foi  solicitado pelos próprios pacientes, uma carteirinha de livre acesso para que os mesmos possam continuar o tratamento no CAPs AD. Antes eles recebiam o vale de papel que ao ser banido no município a Gestão se comprometera em reunião neste Conselho há mais de um ano, que  providenciaria outros meios, desde que os pacientes não interrompessem seus tratamentos e até agora, nada. Enquanto o Governo Federal e Estadual investe em propaganda de ações contra a dependência química, os paciente do município de Camaragibe imploram por locomoção para não abandonar o tratamento. Foi entregue um abaixo assinado ao CMS para encaminhamento e solicitado também infraestrutura, como informatização;
  • Pacientes e instrutores do CAPs AD reclamam da falta de medicação desde maio na USF Vila Rica e da dificuldade em agendar fichas para especialidades. Uma depende química reclama que precisa de atendimento com um Psiquiatra e foi marcado para janeiro de 2017;
  • Nas USFs geralmente só disponibilizam 02 vagas /mês para exames;
  • Continua a queixa contra o LAMUC e sua burocracia no carimbo dos exames, além da falta de abrigo para os pacientes que esperam na chuva e no sol;
  • Em Tabatinga I e II, as escadarias estão sem corrimão, além das lonas colocadas pela defesa civil nos morros não aguentarem 05 dias de sol e se rasgam;
  • Queixa do horário que os carros de coleta de lixo estão passando à noite, bastante tarde, sem prévio aviso. Enquanto isso, os cachorros derramam parte do lixo na rua e os garis não recolhem. Além disso, ainda há o chorume que deixam na rua;
  • Queixa da falta de capinação da parte de dentro da USF do Loteamento São Jorge. Além disso, a dentista não atende há meses por falta de condições. Material quebrado. Ela apenas comparece;
  • Na Farmácia do Centro de Saúde Antônio Luiz de Souza está faltando Seringa, agulha, e fita para atender aos diabéticos;
  • Está havendo agressão aos trabalhadores nas USFs por alguns comunitários. Segundo consta, por conta da falta de medicação, alguns acusam os profissionais de levarem para casa. Inclusive houve acusação na mídia, como se as ACS estivessem subtraindo insumos, chegando a agredir uma profissional. Segundo informações, a Gestão não está dando apoio aos trabalhadores. Esta acusação é muito grave e o Sindicato das ACS está tomando providência amparada pelo Art 331 do Código Penal;
  • Falta de segurança no CAPS INFANTIL. Não há Guarda nem Patrulha;
  • Queixa das informações contraditórias da prefeitura sobre calçamento e recapeamento das ruas da cidade. Segundo informam, no Timbi, várias ruas não tiveram conclusão e em algumas em que consta na placa como concluída não passou nem a máquina! 


Pesquisar este blog