Google+ Followers

domingo, 18 de setembro de 2016

Comitê discute controle da dengue em Camaragibe

A fim de debater propostas de ações intersetoriais de controle do vetor e de atenção à saúde nos casos relacionados ao Aedes Aegypti, o Comitê Municipal de Mobilização e Controle da Dengue de Camaragibe realizou seu primeiro encontro na última terça-feira (6). 

A Secretária de Saúde, Josilda Valença, abriu o evento enfatizando a necessidade do comitê para refrear o avanço das arboviroses no município e garantir uma estrutura de acolhimento, notificação e atendimento dos casos.

"A gente está no período pré-epidêmico e a gente antecipa a volta da epidemia a partir de novembro. Portanto, reforço a responsabilidade pública e social deste comitê", ressaltou a Diretora de Vigilância em Saúde, Viviane Pina. Durante a apresentação do perfil epidemiológico das arboviroses no município, ou seja, da evolução e propagação da dengue, zika e chikungunya e da Síndrome Congênita do Zika, o Coordenador de Vigilância Epidemiológica, Ricardo Alexandre, destacou a dificuldade de notificação como principal obstáculo para traçar um diagnóstico real da epidemia no município.

A necessidade de acompanhamento dos casos crônicos decorrentes de arboviroses e das crianças com Síndrome Congênita do zika foi debatida com preocupação pelos participantes. "A saúde não consegue dar conta de tudo", destacou Ana Márcia, Coordenadora de Tuberculose e Hanseníase. Além da criação de uma linha de cuidado que garanta acompanhamento permanente, discutiu-se a importância do comprometimento de outras áreas, como a da educação. "Como vai ser a recepção das crianças quando chegarem na escola?", questionou Alexandre.

Também foi ressaltada a importância da atuação das escolas na educação ambiental, ações que já acontecem periodicamente com o Programa Saúde na Escola, devem ser reforçadas neste período. A relevância do papel dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e dos Agentes de Combate a Endemias (ACE) nas ações de educação em saúde foi ressaltada pela ACS Maria da Conceição de Melo, da USF Jardim Camaragibe, e representante do Conselho Municipal de Saúde.

Para capacitar e qualificar os profissionais da rede, a Vigilância em Saúde, juntamente com a Educação Permanente, realizará capacitações com reumatologistas e infectologistas de referência. "Tivemos uma subnotificação dos casos de zika. No início, os médicos não sabiam diferenciar pois os sintomas eram muito parecidos", informou o Coordenador de Vigilância Sanitária, Carlos Batista. Segundo ele, os médicos também teriam sido orientados a notificar muitos casos como dengue, por se considerar, à época, de maior risco. "Novas descobertas foram e estão sendo feitas sobre o zika, existe a possibilidade de novas arboviroses e a tríplice epidemia (dengue, zika e chikungunya) pode vir ainda mais forte no próximo ano. A redução no número de notificações e a queda da epidemia é natural esta época do ano. Não podemos relaxar, é perigoso", alertou.

O Comitê, instituído em 14 de dezembro de 2015 pelo Decreto Municipal nº138/2015, tem como objetivos implantar medidas intersetoriais para reduzir os fatores determinantes da infestação do Aedes Aegypti e acompanhar as medidas de diagnóstico e assistência aos pacientes com casos relacionados ao vetor, dentre outras atribuições.

Fonte: Marcella Semente
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Saúde de Camaragibe

Pesquisar este blog