Google+ Followers

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

CONSELHO DE SAÚDE PROTESTA PELA INEFICIÊNCIA DOS SERVIÇOS PÚBLICOS EM CAMARAGIBE



Na manhã desta quinta-feira (10) o Conselho Municipal de Saúde de Camaragibe realizou um protesto junto a entidades de representação social da cidade e trabalhadores da Saúde, que foram penalizados pela Gestão. Até os pacientes do CAPS, usuários de álcool e outras drogas, participaram implorando condições para a continuidade do tratamento em cumprimento ao Decreto 3.088|2011, que garante o acesso dos usuários e de seus familiares à Rede de Apoio Psicossocial.


Após a derrota nas urnas, a Gestão abandonou a  cidade. Demitiu em massa os contratos e Serviços prestados. Fechou 02 serviços de emergência e juntou o pessoal efetivo numa única emergência - Cemec Centro - que mesmo assim, por falta de pagamento dos médicos prestadores que permaneceram, está sempre com o plantão fechado.

      As Unidades de Saúde que serviam à população apenas 03 dias na semana, agora têm um médico para 02 Unidades e, por isso, o atendimento ficou restito a um dia e meio.

  As reformas iniciadas em algumas Unidades encontram-se paradas. Fala-se que o recomeço ocorrerá só na próxima Gestão.

      Todos os Serviços foram prejudicados como:
  • CEO
  • Laboratório próprio e do Prestador 
  • Maternidade, que só atende 02 dias na semana;
  • Emergências, hospital, nunca teve;
  • Casa da Mulher, as lâminas estão em abandono;
  • Exames em geral;
Enfim, a cidade está em abandono. 

     Por fim, a Gestão  pagou o salário do mês de outubro  aos Servidores, exceto aos efetivos da Saúde. A medida foi entendida como retaliação pela amostra de felicidade demonstrada por eles ao oferecer um café da manhã na frente do prédio do Hospital Aristeu Chaves quando souberam  do resultado das eleições. 

        Os ACS|ACE receberam na sexta-feira (04), e os plantonistas, até a data de hoje, seguem sem salário e sem justificativa ou pronunciamento. Nota-se que para o prefeito Jorge Alexandre não basta ser considerado o pior prefeito: ele faz questão de não ser esquecido.

     O Conselho Municipal de Saúde de Camaragibe existe há  25 anos e nunca saiu às ruas em protesto pela ineficiência dos serviços públicos como no dia de hoje. Após a concentração na sede do Órgão, o pessoal seguiu em passeata até o MPPE para reiterar a solicitação de providência imediata do Guardião da Lei.

     E por se tratar de um Órgão Fiscalizador, o Colegiado reprovou o Exercício Financeiro de 2015 por unanimidade, pela inconsistência nos dados e pela forma como supostamente  burla o TCE, em relação ao percentual da despesa com Pessoal, pagando a Cargos Comissionados e Servidores empenhados como: outras despesas Pessoa Física e outras Despesas Pessoa Jurídica. Se agissem corretamente, com certeza a prefeitura não estaria no limite prudencial e sim, extrapolado o limite dessa despesa. Outro motivo foi  pelo não cumprimento das Ações e Metas, além do descaso total com a coisa pública.

     Reprovou também o Orçamento Anual para 2017, tendo em vista haverem acrescentado despesas adicionais em período eleitoral, contrariando a Lei 101 de 2000, entre outras irregularidades, o que provavelmente será aprovado pelo Legislativo Municipal.

    O importante é que o CMS Cg fez a sua parte e protocolou documentação em todos os Órgãos Fiscalizadores na esperança de que algum deles tome as devidas providências.

      O  grupo foi recebido pelas Promotoras: Nancy Tojal e  Mariana - Saúde e Patrimônio - que se comprometeram em apurar e demandar sobre o assunto.

       Em Camaragibe, só sei que está assim!

       Como diria o professor André Ricardo Batista: " tenham fé!".

Pesquisar este blog