Google+ Followers

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

TEMER PROVA DO PRÓPRIO VENENO


As delações da Operação Lava Jato, que apura irregularidades na Petrobras, podem atingir mais nas próximas revelações.

No acordo de delação premiada, o ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrechet, Cláudio Melo Filho, disse que o propósito da empresa era manter uma relação de concessões financeiras e pedidos de apoio com políticos, em típica situação de privatização indevida de agentes políticos em favor de interesses empresariais nem sempre republicanos.

Cláudio Melo Filho dedica um capítulo ao relacionamento que tinha com o presidente Michel Temer. O nome do presidente é citado 43 vezes no seu depoimento.

Após a homologação, vem a fase de investigações e busca de provas do que foi relatado, para que o Ministério Público avalie se oferecerá denúncia contra os citados. Portanto, as consequências penais e criminais ainda vão demorar um pouco para fazer efeito, mas o efeito político é imediato porque envolve, segundo cálculos, quase 200 nomes de autoridades.


Pesquisar este blog