Google+ Followers

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

CAMARAGIBE: PRIMEIRA REUNIÃO ORDINÁRIA DO CMS DE 2017 REGISTRA MUITAS QUEIXAS




Na tarde dessa segunda-feira (16) foi realizada a primeira reunião ordinária do Conselho Municipal de Saúde de Camaragibe, em sua sede, no Auditório Irene Francisco Rodrigues.

Compôs a mesa o coordenador adjunto Dr. Araújo, a  Secretária de Saúde, Nadegi Queiroz, o representante do Governo, Rubenilson Pequeno, a diretora do FMS, Eliude Carneiro, além do Secretário executivo Eduardo dos Santos e da relatora Conceição Melo.




Foram lidas 02 atas e, em seguida, foi aberto espaço para informes e denúncias.


Informes:
  • Foram enviados ofícios solicitando reunião para: SESAU, SEGOV e TCE
  • Lúcia Helena, da Secretaria de Projetos Especiais, informa que as Entidades que tiverem interesse em regularizar sua situação devem levar o Estatuto e as demais documentações no 1º Andar da prefeitura ou ligar: 993515979 / 98511 5681
  • Aumento da violência no Bairro do céu Azul, Santa Mônica e outros;
Denúncias:
  • Suposta intenção de Privatização do "Hospital" Aristeu Chaves e outros serviços municipais,
  • Médico do Cemec fazendo plantão de 48 horas;
  • ACS nas recepções das Unidades de Saúde e falta de materiais de penso;
  • Falta de fichas para o trabalho diário das ACS;
  • ACS fazendo limpeza da Unidade de Saúde;
  • Unidades de Saúde com aluguéis em atraso;
  • Pedido de providência sobre supostos contatos irregulares na prefeitura;
  • Várias Unidades de Saúde encontram-se sem médico, sem materiais de curativo e outros insumos;
  • Falta de exames de alta complexidade para os munícipes, desde sempre;
  • Falta de recolhimento do lixo na cidade com acúmulo de roedores e insetos;
  • Queixa do Conselho de Assistência Social;
  • Queixa dos Combeiros do Vale das Pedreiras;
  • Suposta "migração" do Pessoal da Gestão anterior na atual tornando o possível 'diferente', igual;
  • A maioria das 42 Equipes de Saúde da Família em Camaragibe estão sem médicos, e algumas, sem enfermeiras.



O Conselho reconhece a  dificuldade, tendo em vista a "terra arrasada" deixada pela Gestão anterior de Jorge Alexandre, e entende que essa demanda de denúncias é ainda parte da "herança" que dará  muito trabalho à nova Gestão.

O representante do Governo fez  anotações de todos os informes e denúncias e se comprometeu a, na próxima reunião ordinária, responder aos questionamentos.

Pesquisar este blog