Google+ Followers

domingo, 2 de abril de 2017

Rombo da previdência estadual cresceu 33% em dez anos




SISMMAC

Um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), mostra que o regime próprio de previdência de Pernambuco, o FUNAPE -criada em 2000 - embora esteja em situação melhor do que a de muitos Estados, está longe do equilíbrio ou superávit.


Atualmente, as previdências do Distrito Federal e de 22 dos 26 Estados operam no vermelho. Entre 2009 e 2015, último dado disponível, o rombo de todos os Estados somados passou de 49 R$ bilhões para 77 R$ bilhões. Para pagar os aposentados, os Estados usam o dinheiro do seu caixa. Alguns Estados já gastam mais de 20% da receita com Previdência.


O quadro de Pernambuco não é diferente. Segundo o Ipea, o número de servidores inativos cresceu mais do que o de servidores ativos. Enquanto o contingente de servidores caiu em 2,4% entre 2016 e 2015, a quantidade de inativos cresceu 31,7% no período.

A culpa não é do trabalhador. É  irresponsabilidade dos governantes que passaram a alimentar o serviço público com profissionais empenhados que significam, - apenas despesas, sem recolhimento para a previdência - prejudicando o equilíbrio atuarial. É necessário que cresça o números de ativos para garantir a manutenção dos inativos. Empenhos, extra e contratos, não descontam para o FUNAPE.

As  mudanças nas regras de previdência que aumentam a idade para a aposentadoria  contribui para o adoecimento dos trabalhadores, além de colocar em risco o desempenho do serviço.

SISMMAC

O Brasil aprova a terceirização. Com isso, precariza o trabalho e prejudica ainda mais o fluxo dos investimentos para o equilíbrio da previdência. Provoca o caos, regulamenta a mão de obra barata e legitima  o retorno da escravidão.


Pesquisar este blog