Google+ Followers

segunda-feira, 26 de junho de 2017

RECIFE: HOSPITAL AGAMENOM MAGALHÃES MAIS UMA VEZ É ALVO DE DENÚNCIAS



Na manhã desta quinta-feira (22), usuários do Hospital Agamenon Magalhães (HAM), na Zona Norte do Recife,  mulheres que tinham acabado de dar a luz, e outras que esperavam para fazer o parto, encontravam-se em macas ou em colchões no chão, colocados nos corredores da unidade.

Muitas mulheres em cadeiras, algumas ficaram com os filhos no colo por falta de leitos adequados para os recém nascidos. Além de tudo ainda existe uma imensa dificuldade na marcação de  exames.

A irmã da técnica de enfermagem Eva Hercilia teve uma gravidez de risco, por causa de hipertensão. Por isso, foi transferida do Hospital da Mulher, na Zona Oeste da capital, para o Agamenon Magalhães, onde o filho nasceu. Eva, que trabalha na área de saúde, diz que ficou impressionada com o que encontrou no Agamenon.

“Quando a mãe tem o bebê, necessita do cuidado pós-parto. Os dois têm que descansar e isso não acontece aqui. Agora, minha irmã está em um quarto, com outras pessoas, mas, mesmo assim, há superlotação. Estamos falando de cuidados básicos que elas não estão tendo”, disse.

O Hospital Agamenon Magalhães é referência na rede pública de saúde, em Pernambuco, especialmente nos casos de alto risco. Porém os anos passam e as queixas continuam tanto por parte da população quanto dos servidores, que amargam a falta de condições de trabalho e a defasagem de profissionais. "O estress causado pela deficiência de profissionais é só uma das muitas dificuldades enfrentadas e o mais prejudicado com certeza é o paciente", dizem.

E queixa é o que não falta!


Fonte: Folhape

Pesquisar este blog