Google+ Followers

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Cidade de Pedra volta a ser abastecida pela rede após três anos e meio em colapso


Barragem Mororó, que estava seca, acumulou 19,66% de água com as chuvas do último final de semana


 Foto: Divulgação/Compesa
Após três anos e meio em colapso, a Barragem Mororó, localizada no município de Pedra, no Agreste Meridional, voltou a acumular água com as chuvas do último final de semana. O manancial é a única fonte de abastecimento para a população da cidade, que está desde o ano de 2014 sendo atendida exclusivamente por meio de carros-pipas. O reservatório estava completamente seco e com as chuvas conseguiu atingir 19,66% da sua capacidade máxima de armazenamento, que é de 2,9 milhões de metros cúbicos de água. Com o volume de 576 mil metros cúbicos acumulado na Barragem Mororó, a Companhia Pernambucana de Saneamento já está trabalhando para retomar a operação do sistema de distribuição de água pela rede para a população de Pedra, até o final de julho.
"O Mororó foi uma das únicas barragens da região que ainda não tinha sido beneficiada pelas chuvas desse ano. Esse volume é suficiente para realizar o abastecimento de Pedra por nove meses, com o uso racional da água. Vamos estudar o calendário de fornecimento de água para Pedra, que devemos divulgar até o final do mês", informou o gerente de Unidade de Negócios da Compesa, Augusto César de Andrade Lima. Como o sistema de abastecimento da cidade ficou muitos anos sem operar, a companhia precisa realizar agora serviços de ajustes e manutenção nas unidades de bombeamento e na Estação de Tratamento de Água (ETA), para que a água volte a chegar nas torneiras dos 12,7 mil moradores da cidade.

Pedra é uma das sete cidades que serão beneficiadas com a construção do Sistema Adutor dos Poços de Tupanatinga, uma alternativa encontrada pela Compesa e Governo do Pernambuco para o enfrentamento da seca na região Agreste. O empreendimento vai antecipar o uso de trechos das tubulações já assentadas da Adutora do Agreste - a maior obra estruturadora no estado para receber a água da Transposição do Rio São Francisco - em benefício de Venturosa, Buíque, Tupanatinga, Itaíba, Águas Belas, Iati e Pedra. O Sistema dos Poços de Tupanatinga recebe o investimento de R$ 54 milhões, recursos do Ministério da Integração Nacional, para a perfuração da bateria de poços profundos, que irá fornecer uma vazão de 200 litros de água, por segundo. As obras já iniciaram e a previsão é que sejam finalizadas em maio de 2018.
 

Pesquisar este blog